sexta-feira, 30 de novembro de 2007

Corrida Amanhã

Amanhã tem mais uma corrida, e vai ser praticamente no mesmo lugar que a da semana passada. E estou com uma forte impressao de que vai ser na mesma trilha. Essa corrida, Santa Shufle, tem em vários lugares, várias cidades, entao estou até meio arrependido de ter escolhido a de Whitby, porque pelo jeito não vou conhecer nada de novo. Vou pegar o mesmo trem, descer na mesma estação e caminhar em direção ao mesmo lago da semana passada, tudo igual, poucas novidades. E levando-se em conta que o que está mais me fazendo participar das corridas são as coisas novas, é fácil ver que eu marquei nessa.

Mas uma coisa vai ser diferente, o frio. A não ser que os caras do tempo são muito ruins, esta vai ser a corrida mais fria que já corri. A previsão para amanhã cedo é de 7 graus negativos, com sensação térmica de 13 negativos. Vou ter que ficar esperto. Mas não terá neve, porque a previsão é só de frio, sem neve. Hoje na hora do almoço, quando saí do trabalho, estava nevando, e hoje a tarde também. Mas não foi suficiente para acumular neve, você vê pouca neve nas calçadas, nas ruas. Bom, um poonto positivo é que a corrida é de apenas 5 Km, uma corrida festiva. Então é melhor, se eu estiver com frio, pelo menos vai terminar logo. Amanhã coloco um relato...

quinta-feira, 29 de novembro de 2007

Leo e Angel

E os blogs também servem para falar dos amigos, claro. Eu lembro sempre da NT, que me trouxe momentos inesquecíveis, mas mais que momentos foram as pessoas. E a NT foi também o estopim para várias coisas legais, que acho bonitas, na ponta disparado é o romance Issao e Dani, mas houve tantas coisas e tantas coisas alegres. Leo e Angel foi uma das amizades que considero grande, que admiro sempre e que sinto orgulho. Mas claro, não foi romance, então estão atrás de Issao e Dani. O motivo pelo qual lembrei deles é 1) porque fazem falta e 2) porque eles simplesmente somem. Mas Leo e Angel juntos é sinônimo de alegria, de muitas risadas, de muita zoação, um tirando o sarro dos outros. E então preciso lembrar alguns momentos. Leo e Angel na mara de Blumenau, os dois no mesmo banco do ônibus e enchendo o saco da Camila. Camila e Rogério, que também deixam saudades. Mas também teve Leo e Angel no barzinho, com medo de tomar cerveja porque no dia seguinte tinha maratona de Blumenau. Só não teve Leo e Angel juntos no quarto do hotel, porque o Leo ficou comigo e o Angel com o Paulo. E preciso lembrar também deles em Bento Gonçalves. Leo e Angel fazendo dupla de revezamento, e mais engraçado, eles brigando por causa do Hotel. Até hoje eu não sei se era sério mesmo ou não.

Mas não foi só isso, foram inúmeros os momentos em que eu tive o prazer de desfrutar a companhia de um ou do outro ou dos dois. Impossível lembrar todos, impossível esquecer qualquer um.

Eles estão por aí, quando menos esperamos eles nos surpreendem...

Ruas de São Paulo


E houve momentos bons nas ruas de São Paulo, que tem buracos, subidas e e falta espaço. E foram as subidas que me fizeram pensar nas ruas de São Paulo antes mesmo de vir para cá. Era tempo de expectativa, eu não sabia quando viria, estava tudo pronto, mas eu continuava com meus treinos mais longos nos sábados de manhã, sempre sozinho pelas ruas de São Paulo. E o percurso mais tradicional passava pela Joaquim Floriano, Faria Lima, seguindo para Pinheiros e estamos na subida da Cerro Corá, a subida que hoje somente vejo do espaço nessa foto aí. E foram tantas vezes que eu passei aí, mas na última eu lembrei que era a última, eu me despedi da subida. E olhei para o chão, para as faixas, para o asfalto e para a calçada estreitíssima e disse a ela "Você será inesquecivel". E no topo olhei para trás para ver longe, para ver até do outro lado do rio. E no meio da rua, na subida da Cerro Corá, eu me pensei que corria pelas ruas de São Paulo e que outras ruas eu conheceria, mas seriam ruas de outros lugares. E nem sabia ao certo se voltaria a correr pelas ruas de São Paulo. O treino continuou no trajeto de sempre, já batido, já decorado, mas a subida ficou até hoje, e eu naquele momento sabia que neste momento lembraria das ruas de São Paulo, especialmente da subida que me fez suar muito, mas que eu insistia em encontrar. Era a minha subida numa rua que não era minha, e as ruas de São Paulo não seriam as mesmas sem a minha subida...

Nós e eles

Quando resolvi que queria vir para cá, estava preparado para coisas diferentes, experiencias novas, mas sobretudo me preparei para um mundo que eu julgava mais avançado, para um lugar onde as exigências técnicas fossem maiores, onde a estatística funcionasse. Era uma preocupação constante o fato de eu chegar aqui e não conseguir acompanhar os caras, não ter base teórica de estatística suficiente, estar muito cru. Mas essa visão que eu tinha daqui, foi um dos pontos onde eu estava mais enganado. Não só encontrei um mundo muito menos exigente, como também encontrei um ambiente onde se convivem com muitas falhas técnicas. Eu era fácil o melhor estatístico teórico da empresa, os outros tinham a teoria já esparsa, enferrujada e desatualizada. Mas eram bons no entendimento das coisas do dia a dia, eram melhores do que eu para entregar valor, para conhecer o que o cliente gostaria de receber, para entender qual o problema do cliente. Mas então eu me lembro de todos os debates no Brasil sobre pesquisa eleitoral e tal, aqui parece que as pesquisas são feitas ainda com menos critério, uma grande parte pela internet, é outro mundo pois no Brasil pesquisa pela internet estava somente começando, lá tinha praticamente só pesquisa domiciliar e telefone, mas a maioria era com entrevistador mesmo, face a face. Aqui não existe isso. Então neste começo eu tenho tido uma certa dificuldade para aceitar as coisas como são aqui, aquele desejo insaciável de questionar tudo, porque parece que tudo é sem critério, mas eu tenho me contido. Acho que com o tempo eu posso contribuir com eles nesse sentido, de fazer as coisas mais rígidas no sentido de seguir os procedimentos corretos e científicos, mas por enquanto eu tenho tentado aceitar mais as coisas e entender a empresa e as pessoas. O bom é que tudo isso me deu bastante confiança e seguranca para conversar com eles de igual para igual, e acredito que no que depender de mim eles terão uma boa imagem dos brasileiros. Não posso também deixar de pensar que temos boas universidades no Brasil, que eu tive uma grande oportunidade de estudar na Unicamp, e que fique registrado, não perdemos para eles não!

Eles sao bons de leitura

Hoje saiu no jornal que os estudantes canadenses ficaram em terceiros numa avaliacao mundial de leitura. Pelo que entendi nessa avaliacaoe ntra interpretacao de textos de varios tipos, e foi feita apenas com jovens estudantes.

De uma forma geral eh bastante claro que as pessoas aqui leem muito, voce encontra gente lendo no onibus e metro, e embora no Brasil tambem acontece, minha impressao eh que aqui eh muito mais, o que tambem, claro, seria esperado.

E um fato que nao sei se jah contei aqui, eh que no final do dia vc encontra as vezes os trens com muitos jornais no chao, nos bancos, enfim, pareece algo desorganizado e sujo, e para mim ainda eh estranho esse compostamento do canadense. Jornais que ficam nos bancos sao frequentemente aproveitados por outros que os pegam em leem. Inclusive eu jah vi pessoas pegarem jornais do lixo para ler. No horario de pico da manha, os cestos de lixo das estacoes mais movimentadas enchem de jornais, porque o Metro, jornal gratuito, eh distribuido em todo lugar. Entao enfim, um cesto de lixo cheio de jornal na verdade nao eh um lixo, digo, eles nao sao sujos. Sempre existem varios cestos, um para papeis, outro para vidros, plasticos, lixo organico, entoa o ceso de papel na verdade eh tranquilo, da para pegar o jornal e ler. E parece que a consciencia de reaproveitar as coisas aqui eh muito desenvolvida, o que explicaria tambem esse comportamento.

Esses dias eu estive reparando nisso, mas nao tenho visto mais porque nao tenho vindo para o trabalho no horario de pico, eu sempre venho bem antes dele.

quarta-feira, 28 de novembro de 2007

Hoje eu corri!

Desde a semana passada que eu tava pensando em fazer o percurso do trabalho até em casa como treino, mas o tempo nunca ajudou. Hoje eu nem estava pensando muito nisso mas quando chegou na hora de vir embora eu fi a mochila com a roupa da corrida e pensei "Porque não"? Entrei na internet para ver a temperatura - zero graus. Não tava chovendo nem nada, entao eu resolvi encarar! Troquei de roupa e desci junto com dois canadesnes, eles tavam me achando meio maluco, ambos muito agasalhados. Eu disse a ele que correria junto com a linha do metrô, qualquer coisa, se eu começasse a congelar, era só entrar no metrô! Mas eu sabia que isso não ia acontecer, eu já tinha experimentado essa temperatura. E mandei bala. Só no começo porque então o peso da falta de treino começou a me segurar. Eu havia corrido as 10 milhas no domingo, mal, e os treinos ultimamente tinham sido lamentáveis. Com uns 3Km de corrida eu senti que não tava com essa bola toda, tive que diminuir. E segui pela Danforth, uma longa avenida de comercio, embaixo da qual passa o metro. Eu tentei não me preocupar em saber onde eu estava. Mas as pernas pesavam, logo eu comecei a olhar as placas, queria terminar. Os comércios terminaram e então a quase ausencia de construções fez o vento me castigar. O vento contra, com frio de zero graus, é horrível. Mas não o suficiente para eu parar, segui sempre. Com 1h04 de treino chego em casa, concluindo os 13Km. Eu estava num estado lastimável, naõ sei porque, se era o frio ou falta de treino, mas cheguei zoado em casa e só o banho quente para me recuperar. Bom, foi legal, mas não tanto quanto eu gostaria, não sei se esse percurso é legal, ele tem muitos cruzamentos, e é meio longo. Bom, eu posso planejar de parar em algum metrô antes do final, sei lá... De qualquer forma foi bom, me senti meio que com o dever cumprido. E a minha blusa ficou lá no trampo, espero que amanhã não faça muito frio...

Trens e catracas

Acho que jah comentei sobre isso em algum lugar, mas ainda se o fiz vale a pena falar denovo. Eu fiquei surpreso com o controle que existe nos trens metropolitanos, digo os trens que saem de toronto e vai para outras cidades. Sao mais ou menos como os trens de SP, comparados com o metro, hah uma estacao no centro da cidade e de lah saem ramificacoes para todo lado, toda cidade vizinha, onde nao tem trem tem onibus. Aqui tem uma foto do interior do trem. Esse sistema de transporte publico se complementa com o TTC, que eh o sistema interno da cidade de Toronto.

E vamos ao que interessa. A questao eh que vc vai no guiche, diz pro sujeito apra onde vc quer ir, ele te dah a passagem, e entao vc se dirige a plataforma. Vc desce uma escada, sobe outra e esta na plataforma. O detalhe eh que vc chega na plataforma tranquilamente sem passar pelo guiche. E quando eu fui direcao Leste para a corrida de domingo passado, impressionante, hah uma passagem da plataforma diretamente para o estacionamento, ou seja, tranquilo chegar na plataforma sem passar pelo guiche, alias, muito mais facil do que passando pelo guiche. E se vc fizer isso ninguem vai te questionar porque muita gente tem passe mensal ou semanal ou diario, eles nao precisam comprar passagem. E entao vc entra no trem, guardando a passagem cuidadosamente no bolso mais acessivel, porque deve ter alguem por ali que vai olhar, tipo quando vamos viajar de aviao e o sujeito do embarque valida a nossa passagem. Mas nao tem ninguem, nunca teve, ninguem vai olhar sua passagem! Todas as viagens que eu fiz, umas 5, eu poderia ter feito sem comprar passagem, daria na mesma.

Quando vc entra na plataforma existe um aviso "area tarifada", tipo dizendo que vc nao pode entrar se nao tiver pago a passagem. Na passagem tambem ha uma aviso para nao jogar a passagem fora que ela pode ser pedida e se for e vc nao tiver ela, paga uma multa pesada, que daria para vc viajar o mes todo. Mas so tem aviso e parece que esses aviso servem como catraca e guarda ao mesmo tempo, lembrando que o trem de SP tem a catraca e tem o seguranca que sempre fica por ali. Mesmo assim a galera passa....

Enfim, sao diferencas que impressionam e nos fazem pensar porque o nosso Brasil nao eh igual. Ainda hoje eu acho estranho o acesso ao trem ser totalmente aberto, afinal cresci no Brasil, mas somos seres humanos neh, nao somos animais, assim eh que tem que ser...

8 graus negativo

Eu liguei a Tv antes de sair de casa, olhei o canal do tempo, minha nossa, lah fora estah 8 graus negativo! Olhei pela janela e lah embaixo, na rua, eu via uma faixa irregular e branca na rua acompanhando a calcada. Deve ser neve denovo... Me aprontei e desci. Quando coloquei o peh fora do predio o fio cortava, mas eu estava bem agasalhado. Segui o meu caminho, no chao realmente havia uma camada fina de gelo em poh, digamos, e ali na porta do predio ele estava liso, escorregadio. Ao abrir o portao de ferro senti ele muito gelado. No ponto de onibus peguei um jornal e comecei a ler, mas as maos jah estavam congelando, nao fazia nem 10 minutos que eu estava ao ar livre! Resolvi parar de ler e colocar as maos no bolso, e fiquei na fila, esperando o onibus. Todo mundo encolhido dentro de suas jaquetas enormes e eu mais ainda. O rosto, labios, nariz comecaram a ficar meio congelados e eu jah cogitava sacar o gorro, e vestir o capuz da jaqueta. Estava 8 graus negativos, na TV a moca do tempo disse que era um outono jah com cara de inverno, mas notei que a vida continuava, e como a vida continuava, o onibus chegou e entao nao houve mais frio...

terça-feira, 27 de novembro de 2007

Haha, nada de treino...

É, acho que nao adianta mesmo, esse negócio de ir correndo para o trabalho, ou voltar de lá tá ficando só na promessa. Não dá, é complciado querer correr depois do trampo, já noite, com temperatura negativa. E hoje foi meio assustador até, para mim pelo menos, lá pelas 3h da tarde houve um vento forte e caiu uma chuva grossa que eu não tenho certeza se era chuva ou gelo. E ventava muito, ficou tudo branco. Mas a noite não tinha mais nada, mesmo assim eu desisti. Seria mais fácil ir para o trabalho correndo, seria o ideal porque de manhã eu teria mais ânimo e porque as ruas estariam vazias. Mas tem o inconveniente muito grande de ter que tomar banho lá, tem que levar tudo, se trocar e rezar apar a a rou pa não estar amassada. E eu não estou certo se sei com resolver o problema de ter uma blusa lá para voltar a tarde para casa. Enfim, ach oque o jeito vai ser manter a forma com corridas no final de semana, e ficar por isso mesmo. A minha preocupação e a Around the Bay, 30Km, se eu não treinar legal, vou penar lá. Mas enfim, vamos que vamos!

Momentos

Desço a escada, abro uma porta, outra e estou fora, no sol que se eleva sobre o lago. O barulho de mar, o vento de mar e eu apenas olho para a fileira de carros estacionados antes da areia. Frio, muito frio, eu resolvo andar. O vento corta, as mãos congelam e eu coloco as luvas, mas sigo andando, mochila nas costas, olhando o chão. A neve está derretendo, mas o chão ainda alterna o preto do asfalto com um branco meio transparente e sujo da neve. É água, agua que caiu em forma de gelo macio e ficou ali no chão esperando pelo sol. Eu piso na neve de propósito, para sentí-la ainda que sob o tenis, é água que choveu a quatro dias e agora está indo embora. Um corredor sai do carro, agasalhado, conversando com seu amigo que já estava fora. É um canadense que não liga para água gelada, mas um canadense corredor, como eu. E eu sigo, mais a frente há um espaço sem carro, eu posso chegar perto da cerca e ver o lago que se impõe como mar. E tem uma praia, com areia clara, que eu não consigo definir o quanto é areia e o quanto é neve, mas que se estende, margeando árvores sem folhas que não balançam com o vento. Eu olho a paisagem, agora do satélite, estou no Brasil me imaginando aqui nas fotografias do espaço. E como será esse lago tão grande? Mas agora eu não tenho limite de zoom, chego ao chão, vejo as pedras, a praia, as árvores sem folhas e sinto o vento frio, tão frio quanto eu nunca havia sentido. O tempo passou e tanta coisa mudou, agora a água do lago é realmente molhada e o vento é muito frio e a neve está sob meus pés. Eu ajeito o gorro, puchando a beirada mais para baixo, tentando cobrir o que for possível, mas está difícil porque com luvas eu não consigo pegar o gorro. E tantos carros ali, mais ao fundo iates que são grandes embarcações, muitos, muitos mesmo como eu jamais vi. O sol não alivia o frio, eu fecho mais minha blusa e volto a caminhar com as mãos dentro das luvas e dentro do bolso. Zero grau, quem diria,e o mês de Novembro prossegue contrastando o calor do passado com os dígitos negativos do presente...

Treino hoje, quem sabe...

Hoje eu resolvi trazer a roupa de corrida para o trabalho. O site do tempo tah prevendo temperatura em torno de 1 grau negativo para hoje a tarde/noite, e eu jah vi que da para correr nessa temperatura. Entao a ideia seria voltar para casa correndo. Vamos ver se estou pensando a mesma coisa na hora que sair daqui... De quaquer forma o percurso ateh em casa, de 13Km, eh plano e a maior parte do tempo fica ao lado do metro. Entao se eu perceber que estou congelando, eh soh entrar no metro! Sim, apesar de tudo eu tenho ainda evitado ir muito longe com esse frio, e tentado ser prevenido...

Gripe

Com a chegada do frio os canadenses tambem se preocupam coma gripe e o resfriado. Ha umas 3 semanas teve uma vacinacao contra gripe aqui, era de graca, mas eu nao fui nao. Eu nunca tive muito problema com a gripe, e espero que isso continue sendo verdade. Mas depois que eu cheguei, os meus colegas de trabalho, ambos jah pegaram gripe.

Hoje saiu uma materia no jornal sobre os cuidados que devemos ter, tanto para nao disseminar a gripe (tomando cuidado ao espirrar, por exemplo, para nao lavar tudo em volta...) quanto para nao pegar a gripe (tomando a vacina, evitando muito contato com as coisas em lugares publicos, como no metro, evitando colocar as maos no nariz, olhos, boca, enquanto em ambiente que passa muita gente, porque essas sao as portas de entrada do virus).

Enfim, nesse ponto as coisas sao iguais no Brasil, onde, se pegarmos SP, acho que tambem tem problema de alergia devido a quantidade de po. Comoigo por enquanto nada de gripe, pelo contrario, to curtindo o frio! A temperatura nao tem mais passado dos 5 graus e tem sido negativa constantemente.

segunda-feira, 26 de novembro de 2007

Neve molhada

Hoje eu tive uma grande surpresa quando desci do ônibus, estava caindo neve! Mas era uma neve diferente, eles chamam de neve molhada (wet snow). Isso porque ela era gelo, mas um gelo já derretendo, e ele caia muito rápido. A neve mesmo da semana passada flutuava no ar, esta não, era igual chuva, caia com tudo e derretia, molhava a gente. Quero dizer, a gente ficava todo branco, mas o negocio ia molhar. E estava caindo bastante, quando cheguei no prédio tava todo branco, então eu me sacoalhei e tal, mas tinha aqueles gelos ainda na blusa. Achei bem legal, subi para o ap, tomei um banho e resolvi que tinha que descer para comprar cebola e pimentão para fazer a carne moida. A Lika falou que tem que colocar pimentao entao... Mas na verdade eu queria ir lá ver a neve denovo, levei a câmera, tirei fotos, não ficaram boas porque está noite, mas eu tambem por descuido acabei apagando as fotos... Enfim, foi diferente. Agora já parou e ele já derreteu, nao foi tanto assim. Mas foi legal. A temperatura gira em torno dos zero graus, não é uma temperatura ruim, dá para se virar fácil. Para ir para o trabalho eu não estou precisando mais do que as blusas do Brasil mesmo. A gente fica pouco tempo ao ar livre, então sem erro... Próximo final de semana tá previsto para nevar novamente, e na semana que vem parece que vai esfriar muito...

Toronto e a classe baixa

Tenho por varias vezes visto em jornais e memso na TV noticias de que ha sim pobres no Canada. andando no dia a dia parece que nao ha, vc nao ve essas pessoas, ou ve muito pouco. Hoje saiu no jornal que cercad e 30 mil familias em toronto vivem na pobreza, e isso eh mais do que nas cidades vizinhas da regiao metropolitana e bem mais do que em outros lugares do Canada. E eles demosntram uma preocupacao muito grande com isso.

No mesmo jornal saiu uma reportagem sobre os agiotas, como eles tem aumentado, seus anuncios em paginas amarelas sao muitos, e como tem crescido o numero de pessoas que procuram emprestimo ao redor do dia do pagamento. Sao pessoas para as quais o salario nao seria suficiente.

Isso eh um pouco desanimador tambem para mim, porque com isso vem a perspectiva de mais violencia, mais crimes. Atualemnte eh incomparavel aqui com, por exemplo, Sao Paulo. Vc simplesmente nao tem porque ter medo, ninguem vai te roubar, ninguem vai te apontar uma arma, isso eh muito raro. Mas mesmo assim, se eu resolver ficar por aqui, jah tenho pensado em tentar outra cidade menor, e isso nao eh de hoje. Parece que podemos ter condicao de vida muito boa em cidades relativamente pequenas. Uma que me atrai, pela possibilidade de ir para lah pela empresa tambem, eh Calgary. Mas parece ser bem mais frio.

Bom, enfim, eh uma pena que as coisas caminhem para esse lado, eu espero que o desespero deles seja muito maior do que a gravaidade da situacao.

Que diferenca!

E vamos conversar um pouco mais da largada. Eu tenho percebido que aqui eh comum a galera nao se amontoar na beira da linha, desesperada para serem os primeiros a correrem e nao perderem tempo. Todas as corrida que eu participei aqui foram assim. A maratona, que foi a unica grande mesmo, teve sua largada por baias. Igual algumas provas no Brasil. E faltando 5 minutos, eles tiraram a separacao das baias. Detalhe, a galera nao saiu correndo para frente, na verdade praticamente nao se moveram. Cheio de espcao ali na frente e era meio como se eles respeitassem a grade da baia mesmo ela nao estando mais ali. Inimaginavel no Brasil. Mas tirando essa, teve a longboat que teve bastante gente, foi a corrida da ilha. Eu fui para a largada, e dava tranquilamente para eu chegar na primeira linha, nenhum problema. Mas essa corrida de ontem eu diria que bateu o recorde porque era como se ninguem quissesse ficar ali na primeira linha, como se todo mundo tivesse dando o lugar para o outro. Tipo dizendo, se vc quiser ficar na frente, fique a vontade. E com isso ali na primeira linha tinha muito espaco. Nao da para provar que o respeito pelo proximo causa isso, mas eh o que realmente parece. E olha que a galera soh foi para a largada quando faltava 5 minutos, quando o locutor comecou a chamar, ai foi todo mundo. Nada de ficar lah se aglomerando meia hora antes da largada. Certo que estava frio neh, mas... No Brasil vc conta no dedo as provas que vc consegue sair na primeira fila, se eh que tem alguma. E precisa ficar esperto se quiser ficar mais ou menos na frente. Eh cada um pra si e o outro que se dane. Enfim,so queria comentar isso que tem me chamado a atencao, num sentido muito positivo, claro...

domingo, 25 de novembro de 2007

Withby Waterfront Race


Hoje eu corri as 10 milhas em Withby. E tirei varias fotos no caminho, nao durante a prova porque eu tava correndo, infelizmente.

Eu acordei cedo e fui para a estacao de trem, bastante frio, emperatura negativa. NO caminho eu ainda encontrei muita neve na calcada, pensei por varias vezes se ainda nao teria neve na trilha que beira o lago, afinal seria la a prova. A neve está derretendo por isso em alguns lugares o que tem é gelo molhado. Dá para imaginar o quanto é liso o negócio né. Mas o caminho até a largada foi muito mais de contemplação da natureza diferente que temos aqui do que de preocupação com a prova. Bastante frio, eu tirava as luvs para bater foto e logo tinha que colocar denovo porque os dedos congelavam.

Cheguei no local, peguei meu kit, composto pelo número e pelo gorro, e cai fora, queria andar lá fora, ver o lago, tantas coisas. Voltei já era proximo do horário da largada, eu fui rápido guardar a mochila e fui para a largada. Entao e só entao eu notei que o sujeito no microfone tava falando do chip. Que chip? Eu realmente não sei o que houve. às vezes tenho dificuldade com o inglês, mas hoje me pareceu tão claro "Esse é o seu número e esse é o seu gorro! Essa fitinha embaixo do número é para vc poder participar do brunch depois" Não me deu chip. Eu não estava ali para marcar tempo, eu não estva ali para nada disso, não faria diferença ir com ou sem chip... Eu não fui atrás do chip e com isso meu resultado não deve sair na lista. E vale uma palavrinha sobre o Brunch, é uma refeição entre o Breakfeast e o Lunch. Fala sério, esse pessoal so pensa em comer...

A largada foi dada enquanto um vento muito frio soprava, eu já não aguentava ficar ali esperando, apesar de não termos esperado quase nada. E como os canadenses são diferentes da gente, parecia que niguem queria ficar na primeira fila! Eu também não, mas foi engraçado, a largada foi dada com a galera dispersa ali na frente, muito espaço sobrando, não parecia a frente, parecia o fundão! E o sujeito da org pediu para termos cuidado, que havia gelo na ciclovia, que hoje não era dia para recorde pessoal. Várias vezes eles pediram para termos cuidado, e eu já fiquei meio preocupado.

A largada foi dada e o meu treino pifio não me deixou ser rápido. Tudo bem, que seja, eu vou tranquilo, quero mais conhecer esse lugar. A trilha beirando o lago chama Waterfront Trail, e existe aqui em Toronto, segue para leste e oeste, tem interrupções, mas parece que sempre recomeça. Withby é depois de Ajax, que fica depois de Pickering, e a trilha tá lá firme e forte.

A largada foi as 10h e eu lembrei que no Brasil já era 1h da tarde, nossa, a galera já deve ter terminado lá em Curitiba! Pensei neles, como teriam ido. E voltei a pensar em mim, uma situação diferente, sozinho, nesse mundo diferente, grande, cheio de gelo no chão. E logo o gelo no chaõ não me deixou pensar em mais nada, entramos na trilha e a neve pisada derretendo vira um gelo liso, muito liso, perigoso até, vc escorrega demais, pode cair muito facilmente. Diminuí bastante o ritmo e segui, meio que tentando ir atrás de um canadense afinal eles devem saber correr nesse negócio. Mas até para eles era difícil, os staffs recomendavam cuidado, a situação relamente estava complicado, alguns lugares era o mais puro gelo molhado. As vezes eu saia para a grama, que tambem tinha neve, mas lá era neve e não gelo. O problema era que lá o terreno era irregular, perigoso ter uma torsão. Depois do Km 3 ou 4, masi ou menos, pegamos uma parte longa onde a neve tinha derretido, ou tinha derretido por completo numa parte pelo menos da pista, e então deu para rodar bem.

A corrida era um vai e volta e lá no final, já quase na hora de voltar, muita neve novamente, pontes de madeira escorregadias, chão liso.Os primeiros começaram a aparecer do outro lado e eu comecei a contá-los. Descobri que eu era o corredor número 29, e na volta passei 5 e não fui passado, portanto, se não errei em nada, terminei na posição 24, com tempo em torno de 1h16m.

Há que se dizer também que os lugares ali eram muito bonitos, muito mato, árvores sem folhas e pinhieros, muita natureza e as vezes dava para ver o lago lá longe. Era um lugar muito gostos de correr, diferente de qualquer lugar no Brasil. Na ida eu senti calor por volta do Km 5, estava com a roupa da primeira foto + luvas, e tirei as luvas, abri o ziper da blusa, estava realmente sentido calor. Mas já percebia que era por que estava correndo a favor do vento, a volta seria diferente. E foi, mal comecei a voltar, eu tive que colocar as luvas novamente e tinha lugares que o vento era forte, não só atrapalhava correr mas judiava muito porque era muito frio. Mas eu segui sempre.

Foi bem legal, desta vez teve medalha, mas não camiseta, e nem nada mais. Teve chip, apesar de eu ter comido bola. A org no percurso era extremamente simples, teve água e gatorade, mas nada demais, depois era só seguir a trilha, numa paisagem muito bonita mas sem ninguem, sem singuem da org também. Tudo bastante simples. No final teve o tal brunch, eu comi um pouco e caí fora, ainda tinha que caminhar uns 3Km até a estação de trem...

A primeira foto sou eu depois da corrida, quando eu já ia trocar de roupa para vir embora. A segunda foi uma foto do lago e do sol que tirei de dentro do trem. A terceira foi quando eu ia chegando no local, neve na calçada... Nao sei se ia chegando, tive que andar até o final dessa rua...

sábado, 24 de novembro de 2007

Cavalgada das luzes

Hoje lá no centro teve um show, eu não sei bem quem faz, mas dizem que é a prefeitura e fazem esses shows de graça para fazer a população sair de casa no inverno, se movimentar um pouco, ficar menos deprimida. Seja como for eu fui porque me disseram que teria um espetáculo com luzes, efeitos especiais e que seria muito legal. Eu fui, afinal qualquer coisa para não ficar em casa o dia todo eu estou topando.

Cheguei lá pelas 19h e já tinha bastante gente. É num lugar amplo, e eu não entendi direito mas no meio lá tinha uma pista de gelo, e tinha a maior galera patinando. Parece muito gostoso, a galera parece que adora. Eu subi uma escada e fiquei num lugar mais alto, mas a ceu aberto. Segundo o site do tempo, temperatura de zero graus, sensação de menos 4 graus. Enfim, eu tava com minha blusa nova, tava bem. Muita, muita gente. COmeçou uma galera cantar, e depois de um vinha outro e outro e não parava e tudo que eu queria era ver o show das luzes e ir embora. Ali era um ligar a ceu aberto, e o chão era só neve. Eu senti que meus pés estavam ficando gelados. O tenis que eu estava, de corrida, ele é cheio de buraquinhos, realmente não foi a melhor escolha. E eu pensei várias vezes em ir embora, mas já estava alí, não fazia sentido ir embora, até porque os locutores lá estavam dizendo que os fogos de artifício viriam em breve.

Vieram era quase 21h, os mesmos zero graus, a mesma sensação de 4 negativo. E foi bastante bonito, fogos de artificio que seguiam o ritmo de instrumentos musicais, o prédio que estava atrás do palco se iluminava todo, muita, muita gente mesmo com câmera, tirando foto e eu com a minha, dento da sacola, com a bateria vazia. É, ela veio com a bateria vazia, o sujeito da loja disse que os fabricantes não querem gastar tempo enchendo ela, então mandam ela vazia, eu teria que ir até em casa se quisesse carregá-la... Enfim, fazer o que...

E além de câmeras a galera levava as filmadoras, umas com lentes potentes, com tripé e tudo, muita gente com filmadora e tripé! No Brasil, assim no meio de multidão, a gente tem o maior medo de mostrar qualquer coisa de valor.

Bom, não houve efeitos especiais, somente os fogos, muito bonito, mas não tanto quanto a neve. Eu voltei logo depois para casa pois o meu pé tava congelando, preciso comprar um sapato apropriado... Que droga, preciso comprar tudo apropriado.... Acho que não compensa voltar para o Brasil, senão vou perder tudo...

Vai ter mais, me parece que todo sábado tem um show desses. Da próxima vez, se for, chegarei lá pelas 8h30m...

Mais fotos

Agora teremos mais fotos!

Depois que nevou eu fiquei meio inconformado de não ter uma câmera para tirar fotos, foram tantas paisagens bonitas, tanta coisa branca! Hoje eu aproveitei que fui ver o festival das luzes e comprei uma câmera. Eu realmente não queria comprar porque sei que logo estarei acostumado com tudo aqui então a câmera vai ser subutilizada. Então optei por uma mais barata, na verdade não achei barata, mas era uma com um dos menores preços, pouco mais de 200 dolares. Ach oque vai ser suficiente para registrar as imagens e colocar aqui. Esta imagem aí é a vista agora da janela do meu ap, é noite, então não dá para ver muita coisa, mas vamos considerar a primeira foto que eu tirei daqui. E n parte interna do retorno, e também lá na frente, o chão claro, é neve. Ela ainda está ali, não derreteu porque a temperatura desde que nevouo tem estado sempre baixa, dificilmente subindo acima dos zero graus. Bom, vou ver se tiro mais fotos amanhã na corrida...

As árvores são pinheiros. Eu estou no quarto andar, mais ou menos na ponta dos pinheiros. Aqueles que a gente vê nos filmes, cheio de neve embaixo e tal, aqui tem muitos. Tem um retorno ali, onde os carros deixam a pessoa na porta do predio e depois caem fora.

Maratona de Curitiba

Paulo e Issao devem estar em Curitiba, eles correrão a maratona lá. E lembro deles, lembro ocm saudades da Maratona de Curitiba, que primeiro foi foi um pouco aterrorizante, a galera falava que tinha muita subida, que era mais difícil que São Paulo, e Curitiba era para mim não só uma maratona, era um desafio maior ainda. Mas quando resolvi correr, uma mes depois de ter feito Blumenau, eu já estava tranquilo, e, a bem da verdade, não foi tão difícil, nçao foi mais difícil que São Paulo. Peguei clima bom, peguei subidas, é verdade, mas ainda fiz um tempo muito bom, terminei bem.

Agora eles indo para já, já estão lá, eu me lembro novamente daquelas ruas, lembro das avenidas, lembro que no final, como no final de qualquer maratona, eu procurava quase que desesperadamente pela linha de chegada, as pernas já não respondiam muito. Eu, Lika, Issao, Dani, Sally, Sidney e Paty, todos estivemos em Curitiba, e foi legal, foi algo para não esquecer.

Que eles tenham uma boa sorte, que dê tudo certo, que eles terminem e voltem bem e nos contem como foi... Eu estarei nas minhas 10 milhas, que espero que não seja na neve...

Correndo no gelo

Dado que amanhã tenho a corrida de 10 milhas em Whitby, resolvi correr um pocuo hoje para ver se soltava os músculos, já que novamente eu não consegui treinar a semana toda. O treino ia ser curto, eu tinha decidido ir somente na pista mesmo. Saí fora e logo vi que ainda estava tudo branco, tudo cheio de neve, em todo lugar. O único lugar que dava para correr legal era na rua, alí não tinha neve. Eu atravessei a rua e fui para a pista, já esperando pelo pior. E realmente, quanto cheguei lá, pista e campo era tudo uma coisa só, tudo branco. Eu entrei na pista, tudo neve, algumas pegadas de alguém que tinha passado por alí somente de passagem mesmo, e mais nada. Não dava para treinar ali, era difícil ver onde a pista terminava e começava o campo, e quando eu pisava a neve afundava em alguns lugares, realmente sem chance. Mas era tudo muito bonito, muito diferente, eu que estava acostumado ver aquilo alí verde, uma pista normal ao redor de um campo, agora tudo branco, muito branco.

Eu voltei apra a estrada, mas não me senti bem correndo no meio da rua, nunca vi ninguem fazer isso aqui. No verão você jamais precisa correr na rua, a calçada é boa, não tem buraco, não tem nada. Mas agora ela estava cheia de neve, branca, e eu precisava treinar pelo menos um pouco. Resolvi seguir pela calçada mesmo, tentando me manter na trilha feita por muitas outras pessoas que tinham passado antes, ali a neve estava mais batida, mais dura. E realmente foi tranquilo, como correr em uma areia um pouco dura.

Segui na Midland rumo a Eglinton, pegaria a direita na Eglinton, depois a direita denovo na Danforth, e voltaria para casa. E então, descoberto o lugar para correr eu comecei a aprecisar um pocuo a paisagem, ainda tão diferente. Casas com telhados cobertos de neves, carros com tetos cheio de neve, não havia mais grama no chão, tava tudo coberto de neve. Em alguns lugares os moradores tiraram a neve na calçada em frente suas casas, mas na maioria das casas estava tudo como a natureza tinha deixado, tudo coberto de neve.

Eu segui e peguei alguns lugares onde a neve estava menos pisada, e ali era como uma areia mais fofa. Peguei outros lugares onde não entendi direito, mas parece que foi jogado água na neve e ele ficou meio como gelo, e escorregava! Eu precisaava tomar cuidado! Sim, gelo no chão era um perigo,a galera já tinha me avisado, escorrega muito. E eu segui sem problemas, segui naquele ritmo reduzido, rito de correr na neve e admirar a paisagem, ritmo de correr e conhecer. Ate chegar de volta no meu prédio, com 24 minutos de treino, não deve ter dado nem 5 Km e eu nem vou perder tempo colocando no mapa... Mas foi legal, foi uma experiencia nova como tantas coisas tem sido...

sexta-feira, 23 de novembro de 2007

Dia mais frio

Depois da neve de ontem, segundo o site do tempo hoje foi o dia mais frio do ano, a temperatura esta agora em -9 graus e com sensacao termica em torno de -15. Ontem por causa da previsao de neve, eu sai de casa com a minha blusa que comprei aqui, mas acabei me arrependendo porque ela e muito grande e acaba sendo desconfortavel. Entao hoje, apesar da temperatura bem mais baixa, eu resolvi vir com a minha blusa do Brasil mesmo, eu uma de lan (desculpem mas o teclado nao tem til rs) por baixo. Coloquei a luva no bolso e o gorro tambem. Mas nao usei nenhum dos dois. Como nos dias de semana eu fico pouco tempo exposto ao ar livre, isso eh suficiente, se eu tivesse que ficar muito tempo lah fora a coisa acho que seria diferente, eu teria que me agasalhar melhor.

E por causa desse frio hoje, apesar do tempo limpo, a neve nao derreteu, estah ainda por todo o lado. Mas ela vai ficando menos bonita, as pessoas pisam e tal. Nos lugares de mais movimento nao tem nada de bonito, a neve fica como um barro, entao existem umas maquinas para tirar a neve, e aih fica uns montes de neve do lado e um caminho limpo para vc passar.

O frio foi considerado meio fora de estacao, a prefeitura declarou alertapara os moradores de rua, dizendo que eles ainda nao estavam preparados para esse frio.

Bom, a previsao eh que agora soh vai esquentar ateh meados da semana que vem, mas oje a temperatura nao sobe acima dos zero graus...

quinta-feira, 22 de novembro de 2007

E mais neve!


Hoje o dia todo ficou meio que nevando uma neve bem fina. No começo do dia tinha sido aquela chuva congelante, mas lá pelas 11h começou a cair neve mesmo, era bem diferente porque a neve meio que flutuava no ar. Na hora do almoço eu peguei o metrô e fui no Queen's Park (o da foto), porque ali no centro, como passava muita gente em todo lugar, muito carro, a paisagem não é bonita. No parque era diferente, ainda mais cheio de neve, pouca gente passava por lá. Estava tudo branco, muito branco, até as árvores. Eu atravessei o parque caminhando e peguei um pocuo de neve de cima de um banco. Tinha um trator com uma lâmina na frente tirando a neve dos caminhos que tem no meio do parque. Como eu tava de sapato, e sapato do Brasil, o meu pé começou a ficar umido, porque vc pisa na neve e ela vai molhando seu pé. E muitas vezes vc tem que pissar na neve que está já bastante pisada, suja, ela parece um barro, aí molha mesmo o pé. A galera usa uns sapatos que são impermeáveis.
A tarde eu sai e vim direto para casa e todo lugar já estava branco, tudo tomado por uma camada de neve. Não se via mais grama, não se via mais o chão, só uma camada de neve branca. Eu tomei banho, peguei meu gorro e minha luva e fui passear!
Embora a camada de neve fosse fina, em alguns cantos havia bastante neve pois o vento soprava ela que se acumulava em montes maiores nos cantos das sarjetas, por exemplo. E eu fui andando, com o meu tenis de cross. Ele funcionou bem, não tava deixando a umidade entrar no meu pé. Até que eu comecei a pegar neve e fazer bolas de neve! Muito legal, mas os dedos começaram a congelar! Caracas! Eu tive que colocar as luvas, mesmo assim estavam meio congelado. Fora isso, eu nao sentia frio, a temperatura está por volta de -4, com sensação termica de -10. Eu tinha andado uns 600m quando resolvi voltar para casa. Aí notei que eu não tava sentindo muito frio porque estava a favor do vento. O vento era fraco, mas faz muita diferença estar a favor ou contra!
O rosto começou a congelar, era a única parte desprotegida. Eu comecei a proteger o rosto com as mãos, que já estavam descongeladas depois de uns 10 minutos dentro das luvas. O problema é que com luvas é ruim de fazer bolas de neve..
É outra coisa, a gente começa a pensar que no mundo tem tanta coisa que a gente não conhece... Você começa a ver aquelas paisagens de filme, aqueles filmes que passam em lugares frios, como os da segunda guerra, como o filme Olga. Haha, nem sei se era neve de verdade! Mas enfim, coisas tão diferentes do que estamos acostumado.

E para os canadenses não é nada demais, na verdade é algo ruim, obviamente eles não gostam. Você fica mais limitado, é complicado sair para fora de casa, muita roupa, calçado impermeável, enfim, eu concordo que se eu ficar aqui uns 5 anos vou preferir o verão!

Mas agora vamos curtir o inverno, estamos só no começo, deve vir muito mais neve por aí!

Esta nevando!

Agora comecou a nevar! De verdade! Mas sao flocos pequenos de neve, eles flutuam no ar! Onde eu fico trabalhando nao tem janela entao eu nao vejo lah fora, mas o pessoal me avisou que estava nevando e eu fui num lugar onde tinha janela, muito legal! A temperatura estah 3 graus negativos, sensacao termica de 11 negativo. Legal, espero que ainda esteja nevando na hora do almoco... A previsao do tempo estah mostrando que amnaha ja nao teremos mais neve e no domigo vamos ter sol. Ou seja, eh so um gostinho da neve, nao vai ser dessa vez que vou fazer bonecos de neve e bolas de neve e guerra com bolas de neves e tal...

Chegou o inverno!

E eu fiquei a noite inteira esperando a neve. Que nao veio, ainda. De manh'a eu olhei pela janela e percebi que tinha algo estranho lah embaixo, o asfalto nao parecia molhado, nao brilhava. Eu imaginei que fosse jah a neve, mas eu nao via nada cair... A temperatura estava em 1 grau negativo e eu resolvi colocar o casaco novo que comprei, com calca jeans normal e levei uma luva na bolsa do trabalho.

Quando coloquei o peh para fora do predio eu percebi que o chao tava muito liso! Existia uma camada de pedrinhas de gelo no chao! E eu tive que reduzir o passo, andar devagar, pois era realmente liso. E as outras pessoas tambem andavam devagar, com bastante cuidado. Pelo menos eu nao0 tava pagando um mico, tipo soh eu escorregando e os outros nao. Mas com cuidado da para ir embora, e eu fui.

A chuva que caia parece que nao molhava, eram pedrinhas de gelo bem pequena. Eles chamam de "ice pellets". Ontem a noite havia uma chuvinha fina, que presistiu a noite toda, eu imagino que esta chuva fina congela antes de chegar no chao e as gotas viram pedrinhas bem pequenas de gelo. Mas nao eh neve!

Fui abrir o portao e ele parecia de gelo. O gelo grudou nele, e vc sentia com a mao as irregularidades do gelo. Eu me lembre dos filmes que a gente ve essas coisas, o gelo tomando conta de tudo... E continuei. Eu tinha resolvido sair mais cedo, mesmo que o busao demorasse eu poderia ficar esperando e aproveitar o tempo ao ar livre. Cheguei na rua e precisava passa-la. Resolvi voltar e pegar um jornal na caixa de jornais. Peguei. A caixa estava igual o portao, cheia de gelo grudado.

Passei a rua. Apesar dos carros passarem, o gelo que estah no asfalto parece que nao derrete. Ele se mistura com a sujeira do asfalto e fica um gelo sujo. Os carros diminuem a velocidade. Do outro lado da rua, resolvi nao ficar dentro do ponto, protegido do vento, que tava bem frio. A temperatura ta -1, mas ta dizendo que a sensacao termica eh de -8. Bom, eu tava bem, resolvi ficar fora do ponto, para aproveitar aquele momento novo. Acho que a galera que tava dentro do ponto, duas mocas, me acharam estranho, por nao me proteger no ponto.

Nossa, era muito legal. Uma camada esbranquicada estava se formando em tudo! E aquele chao, muito liso! A mi nha blusa tava funcionando bem, mas as maos estavam de fora e estavam congelando. Apenas uns 10 minutos ou nem isso e eu jah tava sentindo que tava congelando. Eu poderia pegar as luvas, mas eu sabia que o busao viria e que dentro dele era quente. Entao apenas coloquei uma mao no bolso, a outra continuei segurando o jornal que tinha pego. Coloquei a toca da jaqueta para proteger a cabeca, mas ela limita o campo visual, entao cada pouco eu tirava. A chuvinha de pedrinhas de gelo que caia nao molhava, mas eu sentia algumas pedrinhas pararem no cabelo. O busao vinha vindo e uma garota saiu do ponto e se aproximou de mim. Ela estava encolhida, nossa os canadenses devem odiar tudo isso. Mas eu estava feliz.

E o busao chegou e parou muito devagar. Tambem, com o chao liso daquele jeito eu nao entendia como ele conseuia parar. Mas ele parou e eu subi, e ele continuou ainda devagar. Sempre devagar, ele reduziu o ritmo do que ele costuma andar. E lah fora os outros carros tambem reduziram. A sensacao eh que eh muito perigoso dirigir nessas condicoes. E chegamos na estacao do metro. Enquano o metro andou por cima da terra eu olhava o que dava lah fora, nao muita coisa, mas era realmente bonito, diferente ver tudo esbranquicado, o chao todo opaco. Ainda era muito escuro, nem sinal do chao,tudo que eu tinha eram as luzes artificiais. Depois da estacao Broadview, quando o trem passa por uma ponte, e la embaixo tem uma rodovia, eu prestei aten;ao. Os carros iam mais devagar que o normal e longes um do outro. tudo eh tao diferente...

Desci do metro e comprei meu cafe com a minha rosca. Haha, o sujeito da quitanda, quando me ve jah vai pegando a tal rosca, ele jah sabe que sempre eh o mesmo cafeh com a mesma rosa e os mesmos 3,75 dolares. Caracas, vem quase um litro de cafe e eu fico tomando no escritorio, como agora. Ele vai acabar soh uma ou duas horas depois... Bom, mas enfim, eu comprei o cafeh e sai, precisava andar mais um pouco ao ar livre ateh chegar no escritorio. E as pessoas abrindo o guarda-chuvas e se encolhendo. Nossa, parecia memso os filmes, aquelas pessoas todas cheias de blusa naqueles invernos zoados. Eu tinha uma guarda chuva pequeno na bolsa mas jamais usei. Nao seria agora. Fui. Ali parece que a camada de gelo era mais grossa, devendo chegar a 1cm em alguns lugares. Ainda muito liso, eu tomei cuidado, nao podia cair, jah pensou... Andava devagar e o vento esfriava tudo, mas eu soh tinha uma quadra para andar, nao me preocupei. Olhava a rua, as calcadas, a camada de gelo dominava tudo!

cheguei no trabalho, entreino canal do tempo, eles dizem que deve nevar durante o dia, que isso eh soh o comeco! Fiquei meio preocupado porque meu sapato nao eh impermeavel, e nao seria gostoso molhar a meia na hora do almoco. Sim, porque se tiver uma camada grossa de gelo, entao vc anda e acaba molhando dentro do sapato. A parte boa eh que uma vez dentro do predio, ainda que com os pes molhados, nao faz frio.

Muito legal, muito bonito e diferente! Mais por vir!

quarta-feira, 21 de novembro de 2007

A galera voltou

Eu sabia que era o feriado! Hoje teve vários posts novos no e-group. Pena que eles falam de treino no Guarujá, calor, nossa, nem posso imaginar. A Ieda muito alegre com suas mensagens, o Paulo e suas ultras, o Carlão e suas idéias de correr no Guarujá... Praia... Putz... Bom, tentando esquecer, essa galera dá para fazer um livro né, parecem personagens de um livro... ahahah, e eu volto nos tempos que eu estava por lá, e eu também seria um personagem do livro NT... Legal, eu acompanho a vida corrida deles daqui de longe, espero que eles não me expulsem por ficar somente espiando...

100 posts!

Este post aí de baixo foi o número 100! Nossa, chegou rápido... Mas daqui pra frente acho vou diminuir a frequência, com certeza andei escrevendo demais neste início, e nem sei se tanta coisa assim que seja relevante. Mas a idéia é continuar... Nesse tempo todo eu divulguei muitopouco esse blog, muita pouca gente sabe dele, mas é provável que aos poucas a galera vai encontrando. E para quem encontrou somente agora, já com 100 posts, e está me chamando de egoísta porque não divulguei, digo que não é bem assim. Eu não me sinto bem ficar divulgando para todo mundo, parece que quero que todos leiam e coloquem mensagens e digam que gostaram do blog e tal, eu não sou esse tipo. Ao contrário da maioria dos blogs, a idéia desse foi criar algo para mim mais que tudo, para recordar. Eu não sei o que as pessoas pensariam, acho que podem não achar interessante, podem não achar graça. Enfim, o meu único medo ao não divulgar foi que as pessoas levassem isso para o lado errado, mas espero que não, eu não fiz pensando em divulgar.

Bom, mudando de assunto, e falando agora de assunto, isso é o que não tem faltado pois tenho tantas coisas novas. Apesar disso acho que está passando muita coisa sem ser contada, às vezes não estou afim de eescrever ou as vezes simpelsmente não tenho tempo. E acontece de eu estar afim de escrever e não achar assunto. 100 posts não é pouco, imagino que sejam milhares e milhares de palavras, e, será que algum dia vou ler tudo isso: Não sei, hoje eu volto nos posts antigos e acho muitos deles sem graça, não consigo ler....

Enfim, vamos escrevendo...

Gente de todo lugar

As vezes antes de vir embora eu encontro ocm o pessoal que limpa o escritorio. Eles chegam lah pelas 17:30 e esse é o horário que eu saio, as vezes um pocuo depois. Um dia eu tinha percebido que tinha umas moças conversando em portugues, logo imaginei que seriam brasileira. Hoje por coincidencia encontrei uma delas na saída e perguntei a ela de onde ela era. Ela disse que era de Angola! Perguntei se podia falar em portugues com ela e ela disse que sim. Então óbivio, começamos a conversar em Português. Ela é negra, está aqui há 3 anos com as irmãs e volta a cada dois anos para Angola para ver os pais. Ela disse que gosta bastante daqui, mas não gosta do frio, odeia a neve. Ela fala um português diferente, eu achei bem mais fácil de entender do que o de Portugal, parece mais com o brasileiro, mas não eh igual. Como uma lingua pode ter tantas variações né, mesmo dentro do Brasil temos vários tipos de portugues, mas nenhum parecido com o de Angola. Bom, o trabalho dela tava começando e eu vim embora, não conversei muito. Impressionanate o número de pessoas de lugares diferentes...

Neve!

Hoje a previsao do tempo tem falado o dia todo que vai nevar a noite e possivelmente amanha cedo. Eu estou meio ansioso para ver a neve. O pessoal do trabalho que sabe que eu sou do Brasil ja vieram me dizer que hoje seria o dia! Agora a noite eu entrei no canal do tempo e la tem um aviso de atencao por causa da possivel neve. Eu transcrevi abaixo para ficar gravado. Hoje eu tinha planejado voltar do trabalho correndo (desisti de ir correndo por que me dei conta que se fosse correndo nao ia ter blusa para voltar, o ideal seria voltar correndo, era muito ais facil levar a roupa da corrida do que a do trabalho e muito mais sensato chegar zoado da corrida em casa do que no trabalho) mas nao rolou, choveu o dia todo e a temperatura esta beirando os zero graus. Bom, eu nao vou sair pra correr nessas condicoes, prefiro ficar sem treinar :o). Segue o aviso que tem no site do tempo. Vou ficar de olho lah fora...

Snowfall warning for: City of Toronto
Issued at 5:30 PM EST WEDNESDAY 21 NOVEMBER 2007
..10 TO 20 CENTIMETRES OF SNOW LIKELY BY THURSDAY NIGHT..
A LOW PRESSURE AREA OVER SOUTHERN ILLINOIS WILL BRING THE FIRST WINTER STORM OF THE SEASON TONIGHT AND THURSDAY. WHILE RAIN HEAVY AT TIMES IS FALLING OVER MOST OF SOUTHERN ONTARIO THERE ARE SIGNS THAT A CHANGE IS IMMINENT. AN OFF DUTY ENVIRONMENT CANADA METEOROLOGIST REPORTED WET SNOW ON HIGHWAY 400 SOUTH OF BARRIE AROUND 5.15 PM. THIS IS THE FIRST SIGN THAT A CHANGEOVER TO SNOW IS STARTING TO OCCUR. AS THE TEMPERATURE FALLS TO NEAR FREEZING THE RAIN WILL QUICKLY CHANGE OVER TO WET SNOW AND ICE PELLETS THIS EVENING AND THEN SNOW HEAVY AT TIMES LATER TONIGHT. NEAR 10 CENTIMETRES OF SNOW IS EXPECTED TO FALL TONIGHT WITH AN ADDITIONAL 10 CENTIMETRES TO FOLLOW ON THURSDAY. HIGHER SNOW AMOUNTS ARE EXPECTED TO FALL OVER HIGHER TERRAIN. REGIONS ACROSS EASTERN ONTARIO INCLUDING OTTAWA HAVE ALREADY RECEIVED SNOW FROM A PREVIOUS DISTURBANCE AND WILL CONTINUE TO SEE SNOW FALL TONIGHT AND INTO THURSDAY. TOTAL SNOWFALL AMOUNTS NEAR 15 CENTIMETRES BY THURSDAY NIGHT ARE POSSIBLE AS THE WINTER STORM SLOWLY MOVES EAST ACROSS THE LOWER LAKES TONIGHT INTO NEW ENGLAND BY THURSDAY NIGHT. THE GREATER TORONTO AREA WILL BE VERY CLOSE TO THE SOUTHERN EDGE OF THE HEAVY SNOW BUT IS STILL EXPECTED TO RECEIVE SIGNIFICANT AMOUNTS OF SNOW MIXED WITH ICE PELLETS. ACTUAL TOTAL SNOWFALL AMOUNTS WILL DEPEND ON HOW LONG IT WILL TAKE FOR THE RAIN AND ICE PELLETS TO TURN OVER TO SNOW. LATEST INDICATIONS SHOW 5 TO 10 CM OF SNOW AND ICE PELLETS BY THURSDAY MORNING IN GREATER TORONTO AREA FOLLOWED BY ADDITIONAL 5 TO 10 CENTIMETRES OF ALL SNOW THURSDAY. REGIONS CLOSE TO THE LAKE MAY SEE LESSER AMOUNTS DUE TO SLIGHTLY HIGHER TEMPERATURES. TRAVELLERS SHOULD BE PREPARED FOR SIGNIFICANT DETERIORATION IN DRIVING CONDITIONS WITH HAZARDOUS WINTER DRIVING CONDITIONS LIKELY OVERNIGHT AND THURSDAY. VERY LOW VISIBILITY AT TIMES IN HEAVY SNOW IS POSSIBLE. FOR FURTHER DETAIL OVER THE REST OF SOUTHERN ONTARIO PLEASE READ THE SPECIAL WEATHER STATEMENT RELEASED BY ENVIRONMENT CANADA.

terça-feira, 20 de novembro de 2007

Correndo ate o trabalho

Eu nao tenho mais treinado durante a semana por causa do frio e por que os dias estao muito curtos, eu chego no trampo tah escuro, saio tah escuro. Resultado, nao vou correr. Hoje decidi que vou tentar vir correndo para o trabalho as tercas e quintas feiras. Eu posso trazer a mochila com as roupas nas segundas e quartas, deixar aqui, e vir sem nada, apenas com a roupa da corrida e o cracha da empresa. Chego, entro, tomo um bonha, jah me certifiquei hoje que o chuveiro que tem aqui eh quente (rsrs). Bom, colocando esse post aqui espero me disciplinar a fazer isso...

Olla aih o mapa, exatamente 13 Km... E eu moro praticamente na mesma rua que trabalho...

Dia da Consciencia Negra no Brasil

Hoje eh feriado em varias cidades do Brasil, pois eh o dia da Consciencia Negra. Pelo que entendi eh um feriado que acontece apenas em alguns municipios, nao eh nacional, mas nem tenho certeza disso. De qualquer forma nao acho que seja uma coisa sensata, imagino que fosse eu um negro nao ia gostar do feriado, ia acha-lo sem sentido. No Brasil existe discriminacao, o negro sofre mais preconceitos, encontra mais dificuldades, mas acho que nao eh essa a forma de combater o problema. Sabe-se lah se quem criou esse feriado nao eh racista e o criou somente para poder tirar o dia de folga e ir pra praia. Alias, embora haja eventos em prol da conscientizacao e tal, a maioria das pessoas vao apenas aproveitar para viajar ou ficar em casa de barriga pra cima na frente da TV. Ach oque o combate a discriminacao comeca com uma boa educacao, que eh a ferramente para que os negros e qualquer grupo exposto ao preconceito mostre o seu valor. Mas falar de educacao no Brasil.... Tah longe....

Canada e a pobreza Infantil

A Unicef divulgou um relatorio que diz que o Canada estah em na posicao 12 entre 24 paises industrializados com relacao ao combate a pobreza infantil. 1 em 6 criancas no Canada, segundo o relatorio, vive na pobreza. Saiu uma reportangem sobre o assunto no Metro de Toronto de hoje dizendo que o Canada eh um dos paises mais importantes na ajuda internacional as criancas, mas esquece de suas proprias criancas.
Eu nao tenho visto criancas pobres, na verdade parece que a pobreza aqui nao existe. Existe pessoas em melhores e outras nem tanto, mas nada como favelas que tem no Brasil. Bom, eu ja vi jovens pedidno dinheiro na rua, mas nao sao muitos, na verdade sao dificeis de encontrar. O que encontramos mais sao os moradores de rua, mas ach oque eles pertencem a outra categoria.
Tamb[em eh notorio que no Canada se faz muita campanha para ajudar criancas na Africa, Asia, existem muitos grupos engajados em causas voluntarias. A Maratona de Toronto (Nao a Waterfront que eu corri) arrecadou dinheiro para criancas na Africa. Um dia eu estava treinando e parei para tomar agua quando alguem, supostamente da organizacao da maratona ou ligado a ela, pediu para eu correr a maratona e ajudar as criancas da Africa, e me deu um panfleto explciativo. Hahaha, aquele dia eu nao tava descobrindo como fazer para sair agua do bebedouro, e pedi para a garota me ajudar. Era o bebedouro do lado de fora do cemiterio, ali tem tantos corredores que colocaram ateh um lugar de tomar agua...

segunda-feira, 19 de novembro de 2007

Hoje no Metrô

Hoje eu acabei saindo um pouco mais tarde do trabalho pois queria terminar um programa em VBA que eu achava que podia facilitar bastante a vida da galera aqui. Com isso, voltando para casa também peguei o metrô mais vazio. E por sorte, quando eu cheguei na plataforma, o trem tinha acabado de sair e outro estava chagando anormalmente rapido, perto do que tinha saido, com isso o vagao tava bem vazio. E eu pude ir sentado. E fui, lendo meu livro. Agora o do Agresti. Numa das paradas eu levantei a cabela para ver em que estacao estava e eis que uma mulher que trabalha comigo me reconheceu e veio sentar perto de mim para conversar. Ela perguntou como eu estava, realmente interesssada em saber se estava tudo certo, eu disse que estava adorando tudo, soh o frio que tava muito frio mas... Ela deu risada, mas disse para eu arrumar uma blusa mais grossa... Eu falei que tava bem, que o problema tava sendo sair de casa para correr e tal. Mas o que eu quero mesmo deixar aqui eh que o pessoal aqui tem sido muito legal comigo, eu nao tenho motivo algum para reclamar dos canadenses, eles tem sido muito atenciosos, muito bons, eu nao senti discriminacao em momento algum por ser brasilerio. A experiência realmente tem sido formidável. Bom, ela acabou descendo numa estacao bem antes da minha e eu fiquei no trem com meu livro do Agresti...

Retrospectiva Fim de Semana

O fim de semana foi frio, e esta semana nao vai ser diferente. Eu praticamente nao sai de casa no final de semana, a nao ser para os treinos. E o treino de sabado foi demais, eu gostei muito dos lugares pelos quais passei. Eu nao sei se os rios daqui sao limpos ou nao, mas parece que sao bem cuidados, tipo, sempre eles sao cercados por uma faixa verde de ambos os lados e esses lugares sao muito bonitos, sempre tem os caminhos para a galera passear e tal. Em alguns lugares a vegetacao parece ser completamente nativa, tipo, intocada. Mas mesmo onde parece nao ser, o jardim eh sempre muito bem cuidado, sempre muito bonito. E agora as arvores comecam a ficar sem folhas e para alguns pode parecer uma paisagem meio desoladora, tipo depois de alguma bomba atomica. Mas vc lembra que eh tudo normal, entao passa a ser bonito tambem. E vamos caminhando para o temido inverno...

Nos finais de semana eu tenho ficado bastante em casa, diferente dos primeiros dias quando eu saia mais. Agora as pessoas saem menos, voce encontra menos gente nos parques, mesmo em dias de sol, entao eu tambem acabo nao saindo. Para mim nao eh ruim pois eu gosto de ficar no computador ou lendo livros, mas para muitos pode ser tedioso. Mas pelo menos eu tenho continuado correndo nos finais de semana, antes eu tinha receio de que ia ter que correr na esteira e tal, mas ainda bem que estou conseguindo sair numa boa. O que eu estou sentindo falta eh sair no meio da semana, eu sempre chegava em casa e saia para correr depois do trabalho, mas agora isso nao tem sido mais feito, eu chego em casa e a noite jah eh completa, frio, pouquissima gente nas ruas. Eu jah pensei em correr de manha mas ai eu tenho que pegar o metro no horario de pico para ir para o trabalho, eu rpefiro mil vezes ir mais cedo, chegar mais cedo, pegar o metro vazio, jah que eu vou ter que voltar no horario de pico mesmo...

domingo, 18 de novembro de 2007

Momentos

No supermercado, na gôndola dos sucos, que também tem ovos na parte de baixo, eu tento escolher o que vou levar. Ali no canto esquerdo estão os sucos mais caros, entre eles a marca Tropicana da qual eu vagamente lembro de ter visto no Brasil. Lá eu comprava Del Vale, Mais, que aqui eu não vejo. Indo para a parte mais a direita, os sucos vão diminuindo de preço, vão ficando mais canadenses, eu começo ver sucos de morango, maçã, framboesa, uva e sei lá mais o que. Tem uns berrys que eu nunca sei ao certo o que são - Strawberry, cranberry, raspberry, blueberry, blackberry - a única coisa que sei é que prefiro as frutas tropicais. É muito comum as misturas desses berries, então dificilmente o suco fica bom, atualmente eu nem arrisco mais comprar. E olho um suco na promoção, preciso ler o rótulo, os ingredientes, pois a maioria deles é feito do suco concentrado, não do suco natural, e aí também não é gostoso. O problema é que quando não são feitos de suco concentrado, são mais caros. E eu as vezes tenho aceitado pagar mais caro, o preço é compatível, e as vezes mais baratos do que no Brasil. As caixinhas de quase dois litros variam de 1 a 4 dolares, e se for ver, mesmo as mais caras não estão fora do que se paga no Brasil. Na verdade as caixinhas, ou caixonas, são de 1,89 litros, eu não sei porque, eu acho que é pelo peso e 1,89 litros deve dar mais ou menos 1,89 Kg que deve ser mais ou menos 4 libras, e eles usam muito mais a libra, ou pound, do que o Kg.
Ali no canto direito em cima, tem o Nestea de limão, o único que eu vi por aqui, ele também vem em caixas de 1,89 litros e custa 2,37 dolares. Eu sempre comprava, mas agora que a Paula me trouxe chá mate, eu tenho preferido fazer chá em casa e não tenho mais comprado o Nestea, até porque, modéstia a parte, o meu é mais gostoso.
Escolho dois tropicanas, um de laranja com tangerina e outro de morango, banana e laranja. Sempre que tem banana eu adoro. Depois passei na outro gôndola não refrigerada para pegar mais um suco de maçã, esse de 1,2 litros por 0,99 dolares e feito do suco natural de maçã! Ele vem numa latinha, não é de caixinha, e no começo eu fiquei meio com receio de comprá-lo, mas notei que é bom. O Canadá produz bastante maça, então por isso o suco de maçã deve ser mais barato. Muitos outros sucos estão por ali, a maioria feito de concentrado, muitas misturas, e um suco que eu compro de vez enquando é o de tomate. Ele é salgado, mas gostoso. Uma garrafa com quase 2 litros custa em torno de 3 dolares. Só que também eh enjoativo, então uma vez que compro vai um mes ou mais para comprar novamente. Agora eu não estou para olhar sucos, pego o de maçã e vou direto para o caixa...

Feriado no Brasil

Este final de semana é mais longo no Brasil, pois lá foi feriado na quinta feira, e parece que terça tem outro. Enfim, deve ser por isso que a galera sumiu, devem estar todos viajando, curtindo a vida, esperemos até depois do feriado.

E falando em feriado no Brasil parece que aqui não existe esse negócio de emendar feriado. Ouvi dizer que nos EUA eles movem os feriados todos para sexta feira ou segunda feira, mesmo quando caem nos sabados e domingos, assim todo ano fica com o mesmo número de feriados, que lá, se não me engano, são 8. No Brasil aproveitam para matar o dia util depois do feriado. E ouvi dizer (veja aqui) que os funcionários publicos moveram para sexta feira, para poderem emendar, o dia do funcionário público, que caiu num sabado não sei quando. Assim é fácil né...

Treino leve hoje


É, hoje eu não estava sentido que iria ser fácil rodar muito. Resolvi ficar aqui por perto e só dar uma rodada leve para não ficar parado e para me acostumar ao frio. Quando sai estava dois graus negativos, mas muito sol. Você mal sente o sol, é frio e você sente o vento, o nariz congela no começo, até a lingua parece que dá uma congelada. Mas com uns 10 ou 15 minutos você já tá legal.

Essa é a imagem da pista. O prédio embaixo a direita é onde eu moro, na verdade eu moro nesse que ficou cortado, bem embaixo mesmo. Dali até a pista é muito perto.

Lá tinha um sujeito andando e uma garota correndo na raia de fora. Ela estava de shorts normal, e com uma blusa fina também, uma camiseta por cima. Putz... Acho que não seria suficiente para mim. Mas ela tava devagar, tomou vários chapeus. Depois chegou uma outra garota que comecou a caminhar no sentido contrário.

Eu fiz 13 voltas, 5,2Km só na pista, mais uns 500m até em casa. A última volta eu fiz mais rápido, na verdade as duas ultimas. E por isso terminei cansado e voltei andando para casa. Isso aí, acho que estou preparado apra as 10 milhas do domingo que vem...

sábado, 17 de novembro de 2007

Cadê a galera?

Ultimamente eu tenho me sentido mais sozinho, pois a galera NT tem colocado poucas mensagens no grupo e eu estou sempre esperando por elas. Infelizmente, pra mim, as pessoas parecem não gostarem tanto de escrever como eu... Mas aí fico sem saber das novidades, será que eles estão treinando, participando de provas... Domingo que vem o Paulo e o Issao tem a maratona de Curitiba, a Dani vai correr os 10K, nao lembro se tem mais gente, estarei torcendo por eles, apesar de que, competitivo que sou, gostaria que o Paulo fosse um segundo mais lento que eu..rsrsrs... que coisa feia... Já pensou um segundo mais lento em uma maratona, inimaginável. Mas epsero que dê tudo certo, estarei feliz em saber que foram bem, e se divertiram, independente de outras coisas. E eu estarei correndo 10 milhas em Whitby...

Treino hoje

Como eu não tenho conseguido treinar durante a semana - não tá dando muita coragem de sair para correr no frio depois de chegar em casa e eu estou meio ocupado também trabalhando nuns artigos - eu determinei que nos finais de semana eu teria que tirar o atraso. Como a noite eu não dormi muito bem, fui dormir tarde, tinha decidido que hoje cedo seria somente uns 5Km na pista aqui perto, de carvão, cheia de mato, para soltar as pernas e quem sabe amanhã fazer uns 20Km. Já pronto para sair resolvi pegar o mapa da cidade porque tinha me vindo a idéia na cabeça que seria melhor talvez pegar uma rua, ir e voltar, ao inves de ficar rodando na pista. E foi assim, praticamente saindo já, que mudei meus planos. Subiria até a Ellesmere, lá entraria a direita e deois a direita de novo, voltando para casa por uma trilha. Sim, seria muito mais gostoso correr na trilha do que ficar rodando na pista. E foi o que fiz, só não me atentei para o fato que a distância seria muito maior do que 5Km.

Rumei norte pela Midland, passei a Eglinton e já percebi que tinha gente nos pontos de ônibus, então ele devia estar para passar. Legal, pode rolar uma disputa eu e o busão. E realmente antes de chegar na Lawrence o dito cujo me passa e eu aperto o ritmo porque mais a frente tem um ponto e ele deve parar. Ele para, eu passo e o deixo para trás, ele para também no semáforo e eu rodando forte, ele fica muito para trás. Poucas casas, poucos pontos, eu preciso ser rápido se quiser chegar no próximo ponto antes dele. Não chego, mas ele para no ponto e eu passo novamente. Ritmo fortíssimo, agora eu não tenho muita vantagem, ele passa e abre, nossa, vai embora, me ignora... Mas eu já vejo a Lawrence e lá tem um semáforo e a Lawrence é uma avenida grande, o semáforo demora para abrir. E ele para no semáforo onde também é um ponto. Fica parado e eu que até tinha aliviado o ritmo volto a acreditar. Estou chegando perto, ele ainda parado. Chego, passo, ele ainda parado. Mas o semáforo ainda está fechado e eu, como ele, não posso atravessar. Paro, estou cansado, expiro vapor de água numa fumaça visível, está bem frio, em torno de zero graus. Mas eu, de luva, calça, blusa, boné azul, óculos escuro, camiseta NT laranja por baixo, não sinto o frio, estou bem. E parado descanso, até o semáforo abrir, e disparo, e chego no outro lado antes dele, mas isso é tudo, agora ele abre para não mais perder terreno, agora as residências ficam mais esparsas e os pontos mais distantes, agora só me resta vê-lo se distanciando, vê-lo cada vez menor até que fico sozinho, na calçada da Midland. E a disputa me rendeu um cansaço, e eu diminuo o ritmo. Chego na Ellesmere e viro à direita, procuro a trilha, entro na rua errada, volto, e então vejo a trilha do outro lado do rio.

O treino até então na calçada, com a rua de um lado, muitos carros e casas do outro, se transforma completamente. Agora estou numa trilha de concreto, no meio de muitas árvores e nem parece que estou numa cidade grande, não ouço mais carros. E vejo as árvores, vejo o outono, vejo milhões de folhas amarelas no chão e outras tantas nas árvores. É a melhor visão do outono que tenho até então, muito bonito, muitas árvores sem folhas, várias totalmente amarelas perderão suas folhas muito em breve e umas poucas ainda verde. Alguns pinheiros, estes muito verdes ajuda a paisagem ser tão bonita e tão diferente de tudo que estou acostumado a ver. E corro no meio do outono, só eu porque ali não tem mais ninguem, margeando o rio e contemplando a paisagem. Não mais disputo corrida apenas olho. Na minha frente o sol fraco tenta fazer a temperatura subir acima de zero graus, mas ele está opaco, atrás de uma névoa, eu o vejo mas não o sinto.

E sigo correndo para o sul, as pernas dizem que estou cansado, passo sob pontes e continuo por trilhas, as vezes pensando que estou perdido. Até que saio na Markhan, mas não sei que é a Markhan. A trilha termina e a única coisa que sei é que se quero ir para casa devo ir para o sul, e é o que faço porque o que mais quero é cheegar em casa, eu sinto o cançaco, sinto a distância e talvez o ritmo mais forte no começo. Eu já não sou mias o corredor do verão, quando recordes foram sugjulgdos. E na Markhan, as vezes eu vejo muita folha no chão, muita mesmo, as vezes não vejo a calçada onde pisto, coberta pelas folhas amarela. E uma subida. Chego na Eglinton, e entao já sei onde estou, não falta muito para chegar em casa mas ainda assim penso bastante em pegar o ônibus porque correr já não é mais a mesma coisa. Parece que não compensa, até esperar o busão eu chego em casa, então sigo, chego na Danforth, e daí é só seguir para chegar em casa, completando quase 17Km. Não marquei o tempo pois fui sem relógio, mas foi mutio legal o treino de hoje, ele me fez considerar fortemente a possibilidade de comprar uma câmera fotográfica para registrar as imagens, principalmente porque o inverno também será cheio de imagens, e então eu poderia rechear melhor o blog, e mais que ler e lembrar, eu poderia ver...

Percurso Hoje

Este o mapa do percurso do treino que fiz hoje e que descrevi acima.



sexta-feira, 16 de novembro de 2007

Esfriou...

Hoje foi um dia bastante frio. Em alguns lugares por aqui ao redor chegou a nevar, mas não aqui em casa. O dia todo a temperatura parece não ter passado dos 3 graus. e agora a noite estava ainda mais frio. Todo mundo já está usando blusas bem grossas, do tipo que nem existe no Brasil. Eu ainda não achei que precisasse usar a blusa grossa que comprei, estou ainda me sentindo confortável usando uma blusa de nylon do Brasil, com uma de lã por baixo, é o que tenho colocado para ir para o trabalho todo dia. Amanhã o dia parece que vai ser um pouco mais frio, mas o tempo vai estar mais estável, sol. Quando a temperatura está zero graus ou por aí parece que o sol já não ajuda muito, vc nem sente ele. Pretendo correr de manhã, vamos ver!

Mais uma corrida

Me escrevi para outra corrida! É uma corrida que acontece no dia seguinte ao Natal, que eles chamam de Boxing Day. A corrida terá 10 milhas, será em Hamilton e pode estar muito frio, com neve e tudo, enfim, não sei como vai ser. Mas eu acho que preciso me inscrever nessas corridas, uma pela experiencia de correr nessas condições, só o fato de ser totalmente diferente das corridas que já fiz deve valer a pena. Outro porque me inscrevendo nessas corridas acho que acabo me obrigando a treinar no inverno, pois aqui parece muito facil de você ficar totalmetne sedentário no Inverno. Bom, eu vi onde seria a largada, vi que tinha o trem lá por perto, então tá beleza! 10 milhas eh também uma distância boa. O problema é que as corridas aqui são muito caras... 50 dolares essa...

Ciclovia

Hoje saiu no jornal que Toronto tem um plano embicioso de ter para 2011 1000Km de ciclovias nos parques e ruas. Mas a coisa nao anda como esperado e eles estao tendo dificuldade para implantar esse projeto pela flata de recursos. A meta de 1000Km de ciclovia foi empurrada para 2012, mas, pelo menos, ainda esta de peh. O interessante eh que atualmente jah existe muito lugar onde andar de bike em Toronto, e muitas ciclovias em parques e muitas ruas com faixa e sinalizacao para ciclistas. E muita gente que anda de bike. E existe informacao se vc quiser saber onde pode ir de bike, existem mapas que vc encontra facilmente na internet. Dizem que existem 260Km de ciclovia na cidade. Longe de 1000km, mas jah faz diferenca, quando eu cheguei aqui eu fiquei impressionado tantas bikes nas ruas e tantas ruas com faixas para ciclistas no centro. E as ciclovias nos parques, devem ser deliciosas para passear de bike. Eu pensei em comprar uma bike, e soh nao o fiz porque tudo era novo, diferente, eu nao sabia direito as regras do predio para guardar bike e preferi esperar um pouco mais. Agora chega o inverno e jah nao eh tao bom andar de bike. Mas proximo verao eu nao posso perder a oportunidade!

quinta-feira, 15 de novembro de 2007

Padrão Interessante!

No google você pode digitar uma palavra e ver um grafico de quanto essa palavra tem sido procurada. É muito legal, vc pode passar horas vendo series e tentando entender o motivo dos picos de procura pelas palavras. Bom, como não poderia deixar de ser, eu digitei "road race". Eu digitei em portugues, mas eles dizem que nao tem ocorrência suficiente para fazer o gráfico. E para Road Race apareceu um gráfico muito legal, com muita sazonalidade. Vejam que todo meio do ao tem um pico de procura por Road Race. A primeira coisa que me veio a cabeça é que no hemisfério Norte é verão no meio do ano, época que a galera se engaja mais na corrida, e é onde tem muito mais corredores, por isso esses picos sempre no meio do ano. Dá para selecionar os EUA e ver que eles são realmente resonsáveis pela maior parte das buscas por essa palavra. E então eu digitei a palavra "inverno", e o gráfico é semelhante, com picos no inverno do Brasil! Se procurar por "marathon" vai ver um pico no final do ano, tipo em Novembro. Ach oque tem a ver com a maratona de NY. Bem legal!

Gráfico

Hahahaha, esse gráfico é engraçado! Ele compara os gastos dos Estados Unidos com a guerra no Iraque com outros gastos, e do ponto de vista técnico seria um gráfico muito ruim porque representa coisas de diferentes dimensões num único gráfico, nesse caso tornando difícil até visualizar o gráifco todo! Mas foi de propósito, achei legal!

Momentos

E eu desci a escada, passei em frente a catraca e aí é onde começo a ver as pessoas correrem. A garota de casaco branco passa correndo do meu lado seguida pela possivelmente sua mãe, desajeitadamente sobe a escada segurando a bolsa apertada contra a barriga, passa pela porta e aperta o ritmo,6min/km agora. O rapaz de casaco preto também passa por mim correndo, mas com passos mais largos e menos frequente, eu saio um pouco de lado para que ele possa pegar a escada na direção da porta que já está aberta, porque sei que ele não vai querer perder tempo abrindo portas. Venço 5 ou 6 degraus de escada, é tudo que tem ali, e agora sim, agora eu vejo lá na frente, onde entro e desço a escada para pegar o meu ônibus, o painel luminoso está piscando. Porque correr? Eu sou um corredor, mas agora não preciso correr, os outros correm por mim, os outros que correm chegarão na minha frente, mas isso não importa, o que importa é que enquanto eles estiverem chegando na minha frente, o ônibus não sairá. E eu posso ir devagar, porque eles continuarão correndo para descer a escada e pegar o ônibus antes que ele saia, porque o painel está piscando, piscando com três luzes verdes, bem lá no alto onde todo mundo vê. E eu desço a escada tranquilamente, enquanto outros, ainda que vendo o ônibus ali, ainda que saibam que é perigoso, eles ainda descem correndo, ou quase. Eu entro no ônibus, ainda tem bancos sobrando, eu me sento e abro meu livro, e o painel lá em cima continua piscando, eles continuam correndo e eu começo onde parei porque sei que ainda dá para ler algo antes de chegar em casa...

Trabalhos do Brasil

Aesar de estar aqui, tao longe, ainda continuo fazendo trabalhos com o pessoal do Brasil. Atualmente esotu envolvido em 4 artigos cientificos na area de saude, com o pessoal da Unifesp, e mais um com um doutorando do Rio de Janeiro, na area de comercio exterior. E como esses trabalhos atingiram um pico agora, eles se fizeram sentir. Todo dia chego em casa e ligo o computador mexo na base de dados tirando resultados e escrevendo a minha parte dos artigos, que eh sempre a parte mais estatistica, mais tecnica. Isso tem sido bastante gratificante, talvez agora mais porque eh um tipo de contato que eu mantenho com lah, e isso tem sido importante. O fato de alguns pesquisadores serem relativamente iniciantes nesse negocio de escrever artigos cientificos faz com que eu tenha um papel mais importante em alguns dos trabalhos, e eh uma coisa que eu gosto.

Com isso tambem tenho ido correr menos. Ontem quando cheguei em casa eu ateh quis ir correr para aproveitar a temperatura de 10 graus, mas eu estava mais interessado em trabalhar nos artigos.

quarta-feira, 14 de novembro de 2007

Sao Silvestre

No Brasil, e quem sabe ateh fora de la, os corredores jah comecam a pensar na Sao Silvestre. E eu me dou conta que aqui longe, sera o primeiro ano depois de muitos que eu nao vou sequer assistir a Sao Silvestre. Eu jah tinha parado de participar, se nao me engano a ultima que corri foi no final de 2004, inconformado com o fato de que eu estava sendo dominado pela corrida, algo tao sem valor (para mim! - digamos que amigos, risadas, contatos tem valor, mas corrida, dinheiro, carro, medalhas, isso nao...) ditava as regras da minha vida no final do ano. Mas eh inegavel que o clima entre os corredores, principalmente estes mais iniciantes, muda. A expectativa eh enorme, a adrenalina sobe, eh a prova do ano ainda que as chances de boas marcas sejam perto de nulas. E tudo isso me tras boas lembrancas das Sao Silvestres que participei, principalmente as primeiras edicoes, quando eu era determinado, levava um pouco a serio. Depois desencanei e ia por ir, chegava lah quase na hora da largada depois de assistir a corrida feminina em casa. Ateh parar de vez. Mas as lembrancas sao muitas e boas e as vezes engracadas, como aas vezes que passei o final de ano com o Henri no Ap Dos Caras, cansado da corrida. A hipoglicemia na minha primeira SS, quando tudo rodava e eu quase desmaiei. As chuvas. A multidao na largada e a sujeira que ficava a Paulista. E a multidao depois da largada, o comeco do elevado e a subida da Brigadeiro. A chegada e tantas fantasias, as camisetas e medalhas meia boca. O Ademar e o Henri. E alguem muito especial para mim que nao psoso deixar de lembrar quando penso na SS, a Renata, esposa do Henri, que conheci por ocasiao dessa corrida e a quem quero homenagear aqui...

Moradores de Rua

Alguem que venha aqui pode se decepcionar ao se deparar com pessoas que dormem nas ruas, e pedem esmolas, exatamente como acontece no Brasil. Eu diria que aqui tam menos, mas nao sao poucos. E eles devem receber uma boa grana pois muitos param e dao suas moedas. Uma grande parte das pessoas que vivem nas ruas tem algum tipo de problema mental e isso torna dificil tira-las das ruas. Mas segundo um relatorio, eles ficam nas ruas tambem porque Toronto se tornou uma cidade com custo de vida muito alto, onde muitos nao tem condicoes de pagar alguel, que sao altos tambem devido a alta procura.

Considerando o ano de 2002, cerca de 32 mil pessoas usaram pelo menos uma vez os abrigos para sem tetos. Ach qoue essa nao eh uma boa estimativa para o numero de moradores de rua, mas lembro que em Sao Paulo o numero estimado foi em torno de 12000.

terça-feira, 13 de novembro de 2007

Moedas Americanas

Desde quando cheguei aqui que tenho percebido que as vezes recebo de troco moedas de dolar americano, de um centavo. Quando cheguei o dolar americano valia mais que o canadense, entao achei ateh um pouco estranho, pois recebi de troco como se fosse um centavo canadense. Agora que o dolar canadense vale mais que o americano nao existe mais problema em relacao ao valor. Na verdade sempre existe neh, depende de onde voce olha...

Hoje sai no jornal que a cidade de Toronto pensa em proibir o uso de moedas americanas, os orgaos publicos acabam perdendo muita grana no final das contas recebendo as moedas americanas. isso acontece nos parkimetros, no metro e onibus, e emoutros lugares onde se pode pagar as coisas publicas com moedas.

Ha uma corrente contra, que diz que eliminar a moeda americana vai custar mais do que o lucro gerado por nao recebe-las. Afinal sao apenas as moedas de pequeno valor, eles nao usam um dolar mericano no lugar de um dolar canadense, apenas para 1, 5 e eu acho, 10 centavos.

Momentos

Coloco o relogio no pulso, a blusa, pego a bolsa, confiro se meu passe do metro esta no bolso, confiro o cartao de banco e o cartao de entrar na empresa. Tudo certo. pego a chave que fica sempre em cima da pia, ao lado das panelas ja lavadas e secas, giro a tranca da porta e saio.Vou rapido para o elevador, afinal jah sao 6h26m da manha e o onibus passa as 6h33m. O elevador chega com uma mulher dentro vestindo uma blusa grossa, impermeavel, comprida, e cheia de desenho de flores em um fundo branco. Ela ja deve estar acostumada a tantos invernos e tantos frios e tantas blusas... Toca o sino do elevador, chegamos no solo, saio meio rapido depois de dar a preferencia para ela. Sigo a pela porta de saida, passamos a primeira porta e a temperatura cai um pouco, e nesse momento eu espero jah me preparando, espero a temperatura cair mais que eu sei que vai, quando eu passar a outra porta. E nao so cai, pouca coisa vejo, uma neblina grossa, o chao muito molhado, e eu sigo em frente passando por ela que esta num ritmo lento. Nossa, o que eh isso! Nao dava para enxergar 100 metros, o dia ainda escuro, e eu sentindo a forte umidade no meu rosto. Passo portao, atravesso a rua, desco a escada e o sujeito de sempre esta como sempre na frente do mercado, limpando, recolhendo lixo do chao, folhas secas, papel e outras coisas. Eu sigo, olhando jah para a avenida para ver se o onibus eventualmente nao estah chegando. A umidade ainda eh impressionante, a neblina eh muito grossa, eu sinto ela. As pernas, que so usam a calca social do trabalho, sentem um pocuo de frio, mas nada que preocupel Eu sigo, paro em frente a caixa do metro, abro, pego um jornal de cima da pilha, fecho a caixa devagar para nao bater e vou para o final da fila no ponto de onibus. Duas senhoras conversam em chines (eu acho) dentro do ponto, ams a maioria estah ali fora, na fila. Eu abro meu jornal e comeco a ler, jah com o passe na mao para mostrar para o motorista do onibus quando ele chegar...

Esquentou um pouquinho

Ontem e hoje tem feito mais calor do que na semana passada, se eh que podemos dizer que 10, 12 graus eh alguma coisa de calor. Eu fiquei quase ecepcionado com isso pois no sabado eu comprei uma blusa para o inverso daquelas que eles usam aqui e queria dar uma testada nela. Com a temperatura atual nao vale a pena usa-la, eu passo tranquilo com qualquer uma das duas blusas que eu trouxe do Brasil. Tambem comprei um par de luvas e um gorro. Bom, a previsao do tempo eh que deu essa esquentada, mas entao vai esfriar de quinta feira em ciante, sendo a previsao para o final de semana de bastante frio, chegando a 4 graus negativos. Vamos ver...

Dores musculares

No domingo de manha eu fiz um treino que passou um pouco da meia maratona. Terminei bem, mas nao posso dizer inteiro, jah nao via a hora de chegar no final e achqoue nao parei por volta do Km 15 ou 16 porque estava meio longe de onde poderia pegar um busao, longe do metro. O que achei interessante foi que ontem e hoje eu senti dores musculares, quase ocmo na maratona. Faz um mes e meio que eu corri a maratona e desde entao nao treinei mais do que 10, ou 12 Km, e quando sai domingo jah fazia mais de uma semana que nao treinava. Mas ainda assim, achei estranho ter dores musculares, no meu caso, correndo apenas 21Km. Entao pensei que pudesse ter alguma relacao com a calca que usei para o frio, foi a primeira vez que usei uma leg. Nao parece fazer sentido, mas foi a unica coisa que eu fiz e nao estaa acostumado a fazer. E eu realmente nao esperava sentir dores com um treino dessa distancia. Bom, nao sei, eh apenas uma suposicao...

segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Estatistica e divulgacao

Esses dias durgiu a discussao de um assunto que tinha sido publicado baseado em uma pesquisa feita sem rigor estatistico. A questao eh que quem publicou disse que os resultados eram meramente ilustrativos.

Eu sempre fui contra esse tipo de coisa, porque numa populacao como a brasileira, onde muitos tem nivel de ensino tao baixo, eles acabarao interpretando a informacao como correta. Se por um lado nao se estah fazendo nada errado, pois o rigor estatistico nao seguido eh deixado claro, por outro nos deparamos com o fato de que ninguem entende de rigor estatistico. As vezes, quando o resultado eh usado para levantar uma discussao, nao se tem tantas consequencias negativas, se eh que elas existem. Mas eh comum o uso de tais dados para enganar o povo, para passar um numero sem valor como verdadeiro. E isso acontece sobretudo em pesquisas eleitorais. Eu fiquei inconformado quando ouvi o Lula dizer no horario eleitoral que o numero de domicilios com TV subiu de X para Y no primeiro mandato dele, segundo a PNAD, fonte super confiavel. Ora, obviamente que subiu em numero absoluto pois houve um crescimento populacional, mas em termos percentuais, subiu? Quando o sujeito houve na TV ele pensa "Nossa, meio milhao de domicios com TV a mais", quando o percentual ficou o mesmo. Impressionanate. Isso nao eh enganacao? Nao eh usar meios sujos? Porque entao pode se dizer isso? Eu nao entendo porque nao ha pena para essas coisas, qualquer um pode falar o que quer...

Hoje de manha

Quando sai de casa para vir para o trabalho hoje de manha tive uma surpresa. O tempo estava muito fechado, nao tao frio, por volta dos 5 graus, mas havia uma neblina muito grossa, digo isso porque nao era uma "fumaca", era mais grosso do que fumaca e se vc ficasse la muito tempo nela vc comecava a se molhar. Era uma chuva muito fina que olhando parecia uma neblina, mas dava para sentir. Deve ser por isso que eh importante as roupas impermeaveis, com uma touca para proteger a cabeca.

Remembrance Day

Ontem foi um dia especial aqui no Canada, que eles chamam de Remembrance Day. Eh um dia que eles lembram os soldados canadenses que lutaram pelo pa[is e os que ainda lutam. Ha eventos, cerimonias em homenagem a esses soldados, batalhas sao lembradas e muia coisa a respeito sai na midia, nos noticiarios.

domingo, 11 de novembro de 2007

Hoquei

Hoje fui assistir um jogo de Hoquei. Como o negócio é no gelo, eu fui bem agasalhado, e ralmente lá dentro não é quente, não pode ser, senão o gelo derrete né. Achei bem legal, eu já tinha visto pela TV, mas assim ao vivo ele parece mais bonito. Sim, porque os jogadores não correm, eles deslizam sobre o gelo, ach ei que chega a ter algo meio artistico. O jogo tem 3 tempos de 20 minutos e no intervalo, nesse jogo pelo menos, eles colocavam sempre alguma coisa, meninas fazendo aquelas dança no gelo, aquelas coreografias, bem legal. Noutro intervalo colocaram um monte de crinça bem pequena para jogar hoquei, nossa, eles caiam muito! E sempre tinha uma máquina que entrava no intervalo para alisar o gelo da quadra toda. Ela deixava o gelo brilhando! Tinha muita criança na torcida, muita família, as vezes parece que quem vai assistir hoquei e baseball é o mesmo público que iria num circo, muita criança, mulheres, muita família, pessoas de idade, é muito legal, é uma diversão muito grande para eles.

Valeu bastante a pena, não sei se irei em outros, mas pelo menso uma vez é legal ir para ver como é!

Morrendo de vontade de correr

Já fazia tempo que eu não corria por causa do frio. Então ontem não teve jeito, fui na loja de artigos para corrida e comprei roupas para correr no frio. E hoje fui experimentá-las. Saí de casa antes das 8h, na televisão falava -4 graus mas depois na internet dizia -1. Enfim, tava frio, um frioq ue era complicado correr de short. Então lá fui eu. Não tive qualquer problema, a roupa funciona, vc consegue correr em temperaturas abaixo de zero. Mas depois parece que esquentou rápido, com 45 minutos eu tive que tirar as luvas pois a mão tava suando, tava com muito calor. E na verdade também tava com vontade de tirar a blusa. Com 1h15m eu tive que colocar a luva novamente porque parece que deu uma esfriada, ou talvez porque eu comecei correr meio contra o vento. Corri com a luva até o final, terminei no lugar perto de onde saem as balsas para a ilha de Toronto.

O treino foi muito legal, eu fiz a trilha na beira do lago, e dessa vez com uns 11Km eu resolvi seguir a trilha em uns lugares que eu ainda não tinha ido. Eram umas trilhas na beira do lago que não levava a lugar neenhum, meio que fiquei dando volta. Então voltei para a trilha principal e mandei bala. Foi bem legal. O mapa do percurso segue no post abaixo, eu terminei com 1h48m. Não foi bom, senti um pouco de dificuldade, ando parado de mais depois da maratona...

Treino hoje - mapa do percurso

Segue o mapa do percurso de 21Km que fiz hoje.

sábado, 10 de novembro de 2007

Correr no frio

Fazem vários dias que não tenho ido correr simplesmente porque não dá coragem de ficar saindo com a temperatura em torno de zero graus. Então hoje resolvi que precisava ir atrás de comprar roupas para correr no frio, até porque já estou inscrito em corridas que podem facilmente estar com temperatura muito abaixo de zero e muita neve. Cheguei na loja de corrida, o sujeito me ajudou, explicando quais as roupas e como correr em cada temperatura. Uma coisa é correr a zero graus, outra é correr a menos 20 graus então eu acabei comprando duas calças e duas blusas, um conjunto mais grosso e outro mais fino. Ele disse que posso usar o mais fino agora, e quando eu começar ver que não é suficiente usar o mais grosso. E se eu ver que aquele não é suficiente, usar os dois.

Tanto a calça como a blusa ficam justas no corpo tal que fica muito tranquilo para correr, não perdemos a facilidade de realizar os movimentos. E não parece desconfortável. Mas é meio estranho, espero que ninguem tire minha foto com aquelas calças...

Enfim, não deu para ficar só com o short, tava congelando...

sexta-feira, 9 de novembro de 2007

Metrô lotado

Hoje foi sem dúvida o dia que eu peguei o metrô mais lotado. Quando eu desci na plataforma, tinha já bastante gente lá, e quando o trem chegou a galera esperou a turma de dentro sair e depois entramos. Tinha gente atrás de mim que queria entrar, e como não cabia mais gente eles foram meio que empurrando. Me senti em São Paulo. A sorte é que o pessoal foi descendo logo, e umas 4 estações depois já estava tranquilo.

O fato de que o metrô daqui não suporta a lotação no horário de pico é bem evidente. Ele suporta, mas de uma forma que não é a ideal, é desconfortável para os passageiros. O metrô de São Paulo também tem sido assim há tempos. Muita gente deve deixar de pegar o metrô por causa disso. E no caso de Toronto, minha percepção é de que a situação é mais complicada, o metrô não parece tão moderno quanto o de São Paulo, e as estações são menores.

Eu prefiro chegar um pouco mais cedo no trabalho, assim evito o horário de pico, mas a tarde ´emais complicado porque não estou tendo muita paciencia de ficar no trabalho até tarde só para não pegar o metrô cheio...

Fotos Mad Dog Scramble

Sairam na internet as fotos da ultima corrida que participei aqui, jah faz umas tres semanas. As corridas sao muito simples e como tal os resultados demoram para sair bem como fotos. No resultado final eu terminei os 8 Km em 1h24m, eles incluiram nesse tempo o dalay entre uma bateria e outra. Foram 34 minutos esperando para largar depois que a primeira bateria largou, meu tempo entao foi por volta de 50 minutos. Nada bom, nada mal... Mas eu me diverti!

Essa primeira foto eu estou la tras, antes de passar o rio. Passamos umas 10 vezes o rio, nao sei se essa foi a primeira, acho que nao. Eu adotei a estrategia de seguir a galera porque estava realmente facil de se perder uma vez que nao tinha cmainho, somente fitinhas demarcando por onde vc deveria passar. Inclusive o organizador sempre brincou o tempo todo com isso, tipo dizendo "Espero que voces consigam achar o caminho de volta" ou "Espero que voces terminem ainda hoje" e coisas do tipo, mostrando que achar o caminho fazia parte do desafio. Inclusive ele disse que devia fazer parte da nossa estrategia ir junto com o grupo, para minimizar as probabilidades de se perder, ou sentar o pe e seguir a frente, tentando alcancar o grupo que largou antes. mas aih correndo o risco de estado sozinho e correndo rapido, se perder. A intencao da org acho quenao foi criar dificuldades de localizacao, mas como nao havia trilha, alguem podia pegar uma fitinha ou outra, roubar uma bandeirinha, enfim, sempre deixou claro que faz parte da corrida ter gente que se perde...
Aqui nesta segunda foto eu acabo de passar o riozinho da primeira foto. Essas duas meninas eram as ultimas do meu grupo, e antes desse momento, quando eu tentei deixa-las para tras, eu logo tive que parar e esperar por elas para descobrir o caminho correto. Resolvi er com elas ateh que alguem mais rapido passasse e eu fosse junto, isso aconteceu, eu fui junto, e o sujeito tava num ritmo complicado, tive que esperar por elas denovo. Depois nao sei oq ue houve que elas achoque acabaram sumindo na minha frente e eu fiquei com um sujeito mais lento ainda. Corri um tempao com ele, ateh que eu consegui seguir outros dois que estavam em ritmo melhor.


Uma das coisas que acho legal nessas fotos eh o lugar, o tipo de arvores, o monte de folhas no chao. Eh uma natureza diferente, bonita para a gente que nao estah acostumado a ver. O outono eh bastante interessante e bonito, e essa corrida me deu a oportundiade de ver isso de uma forma bem intensa.