terça-feira, 23 de agosto de 2011

Terremoto

E hoje foi dia de terremoto em Toronto. Ah, e teve o alarme de incêndio também.

Tudo começou na hora do almoço, eu tinha levado comida e tava pensando em comer quando eis que o alarme de incêndio toca. O sujeito diz pelo sistema de som do prédio que tem uma "situação de fogo", que é pra galera evacuar o prédio pela escada. E lá fomos nós, aproveitei para ir buscar um café... Essa é a primeira vez que isso acontece aqui. Lá fora eu não vi fumaça nenhuma. Fiquei imaginando o engraçadinho que fez o alarme disparar vendo o prédio sendo evacuado...

Depois voltamos, eu no meu computador, muito trampo. A moça que senta do meu lado começa a olhar para um rapaz que senta mais afastando e dar risada. O sujeito em pé, assustado, pergunta para ela se ela sentiu o prédio tremendo. Ela diz que sim, que na verdade o prédio ainda está tremendo. O sujeito ainda assustado começa a perguntar para outros se eles estão sentindo, uns sim, outros não. Eu não estava, mas abri a internet e entrei no Twitter. Estava lá, terremoto na Virgínia! Muita gente falando sobre ele, principalmente nos US, galera em Washington e Nova Yorque.

Bom, essa foi a segunda vez que um terremoto é sentindo em Toronto. Mas eu não senti nada em nenhuma das vezes, em ambas o epicentro foi longe daqui e o tremor aqui foi bem fraco, mas muita gente sentiu. Bom, enfim, melhor que fique longe. O que acho impressionante é a energia que um evento desses tem, imagine, tremer a terra em uma área tão grande...




domingo, 21 de agosto de 2011

Imigração para o Brasil

Me chamou a atenção a notícia no site da Exame sobre estrangeiros que tem ido para o Brasil em busca de trabalho. Com estas reviravoltas na economia e a crise na Europa, se a galera for pensar mais a longo prazo o Brasil surge como uma promissora alternativa.

Mas a gente não pode deixar de pensar em como é injusto que tantos brasileiros estejam precisando de trabalho ou trabalhando com salário miserável e ainda assim oportunidades no nosso país são dadas a estrangeiros. Diz-se que as empresas buscam profissionais qualificados em falta no Brasil. Esta é uma das formas que fazem evidente a falta do investimento do governo em educação no Brasil.

Estatísticas da Internet

Eu achei esse site interessante sobre estatísticas do uso de navegadores e outras coisas relacionadas a internet. Achei interessante como ainda tem muita gente que usa o Internet Explorerç por algum motivo eu pensava que o Firefox e o Chrome eram maims usados do que os números mostrados. Bom, o IE não é o primeiro na Antarctica... onde deve ter uns 3 ou 4 usuários e parece que um deles mudou do Firefox para o Safari recentemente. O Chrome tem crescido bastante, especialmente no Brasil. Na Europa o Firefox briga com o IE.

Em termos de Redes Sociais temos o Stamble Upon ganhando recentemente do Facebook na América do Norte, o que eu não imaginava pois nunca ninguém me falou dele. Talvez eu deva dar uma checada nisso. O Facebook está por cima em quase todos os outros lugares no entanto. NO Brasil o Facebook pegou só recentemente, quando eu vim para o Canadá ninguém no Brasil sabia o que era Facebook e ninguem no Canadá sabia o que era Orkut! Se você aumentar o período do gráfico vai ver que o Orkut estava na liderança no começo de 2009.

Bom, eu diria que sou mais usuário do Twitter, mas não como rede social, eu apenas sigo algumas agências de notícias. E quanto a navegadores eu vivo testando eles. Uso O Chrome e o Firefox bastante e ultimamente estou usando um chamado Avant também e muito raramente uso o IE.
E outro ponto, é claro, é que precisamos sempre questionar a precisão dessas informações. Talvez eles tenham a metodologia de coleta no site, eu não procurei. Mas é possível que tenha falhas e que os dados sejam em termos de tempo usado e não número de indivíduos que usam cada navegador/rede social...

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A nossa bandeira do Brasil

Nesta ida ao Brasil ganhamos da nossa amiga Mayumi que está sempre por aí comentando no blog, uma grande bandeira no Brasil pintada em uma canga de praia. A Lika começou a fazer experimentos de decoração da casa com ela. Acho que ela nunca gostou tanto de uma coisa que ela ganhou, embora ela não é de ir em praias.
E a tal bandeira do Brasil está cada dia em um lugar... começou no sofá, foi pra cama e para minha surpresa agora ela foi parar em cima da televisão... Enfim, naa como uma bandeira do Brasil para nons lembrar da terrinha...

domingo, 14 de agosto de 2011

Morte Súbida no esporte

Este artigo interessante fala que a mosrte súbida no Triathlon acontece mais frequentemente do que numa maratona. Chegaram ao número de 1,8 mortes por 100000 no Triathlon contra apenas 0,8 na Maratona. Eu não sei qual a validade estatística de tudo isso, mas eu imaginava que haveria mais mortes na maratona do que no Triatlhon, dado que uma maratona é mais extenuante, eu acredito.

Vendo um pouco mais dos números, metade das mortes no Triatlhon aconteceram no Short Triathlon, o que é ainda mais interessante, e praticamente todas as mortes na natação. Apesar de term sido encontradas anomalias no coração das vítimas fica a pergunta se a maior taxa de morte em relação à maratona não se deve à água, tipo, afogamento por outros motivos. Eu não sou triatleta, mas eu pensaria que se a morte fosse devida ao cansaço ou exaustão do corpo, então talvez tivesse que acontecer na corrida. Enfim, achei interessante a comparação com a maratona...

Paulo indo pra Nova Zelândia

O nosso amigo Paulo está partindo para a Nova Zelândia em busca de novas experiências de vida. Ele vai ficar lá pro vários meses e essa é realmente um tipo de experiência muito valiosa do ponto de vista pessoal, eu penso. Não é só aprender inglês, você entra em contato com muitas coisas diferente, você experimenta em detalhes uma sociedade diferente da nossa. Sua visão do mundo pode mudar, você amadurece. Foi assim comigo.

Eu me achava corajoso de ter encarado essa mudança para o Canadá de mala e cuia, mas o Paulo está sendo mais do que eu. Ele vai sem emprego, sem compromisso, ele decidiu ir e teve cabeça para fazer a sua decisão acontecer. Eu o admiro, parabéns e boa sorte a ele, espero para ver os relatos de sua experiência...

Redes Sociais - Google +

E parece que o Google eté entrando nessa de redes sociais para competir aí com o Orkut, Facebook, Twitter, etc. Eu vi a notícia do Google +, rede social em fase experiemntal e lembrei logo do Google Wave, que parece ter sido um fracasso total. E fica a pergunta, será que o Google + vai pegar?

e-reader

Eu acabei comprando um e-reader. E olha que eu era um daqueles que pregava por aí que não tinha como ler no próprio livro. Mas eu tive que mudar de idéia, a tecnologia tem lá suas vantagems. Eu nunca vi muita vantagens nesses Ipads ou nos Iphones, Blackberry ou nos mais antigos celulare. Mas com o e-reader foi diferente.

Eu pesquisei bastante e tem várias coisas interessantes, mas acima de tudo o que me atraiu foi a possibilidade de aumentar a fonte. Os anos passam, ler livro com aquelas letras pequenas já não é a mesma coisa, sabe como é né. O e-reader me seduziu com esse negócio de fazer o tamanho da letra ficar quase igual aquelas propagandas na beira da estrada.

Em segundo lugar vem o fato de você poder carregar um monte de livro pra cima e pra baixo. Muito conveniente para mim, que começo ler um livro, mudo pra outro, depois pra outro e quando vou ver estou lendo 10 livros de uma vez.

Depois o e-reader não é diferente de um livro. Pois é, ele não é igual computador, ele é mais igual uma folha de papél, opaca, sem luz (você não consegue ler no escuro). Alguns me sugeriram o Ipad, mas definitivamente não é a mesma coisa, pelo menos não os Ipads que eu vi. O e-reader é igual uma folha de papel, não é igual uma tela de laptop. Assim é gostoso de ler, cansa menos os olhos.

E o e-reader é provavelmente mais ecológico. Eu deveria pesquisar isso para ter certeza. Mas um livro eletrônico não ocupa o espaço de um de papel, deve gastar menos energia para ser produzido e seguramente gasta menos para ser transportado. Não usa tinta e não ocupa espaço no lixo. Agora, eu não sei qual o custo pro meio ambiente de se produzir um aparelho desses, sei que os livros podem ser produzidos de árvores plantadas e tal, e o papel pode ser reciclado, mas ainda assim existe todo um processo para se produzir papel o que me faz pensar que a longo prazo o e-reader é melhor ecologicamente. Imagino por exemplo jornais, aquele monte de papel que se acumula quando você assina jornal... mas se você assina no e-reader não acumula nada.

E finalmente livros eletronicos são mais barato, muitos são gratis, tipo aqueles do Machado de Assis, José de Alencar, vc acha tudo na internet e baixa sem pagar nada.

Ainda, o e-reader que eu tenho acessa a internet de qualquer lugar do mundo sem pagar nada (embora com um navegador basico e limitado). Eu posso carregar arquivos nele. Músicas. Posso carregar e ouvir podcasts. Ele marca a página de todos os livros que leio automaticamente. Dá para assinar revistas e jornais. Tem um dicionário embutido, que vc pode acessar facilmente quando tá lendo e não sabe o significado de uma palavra. É pequeno, fininho, leve, cabe em qualquer canto.

Mas... o livro de papel sempre vai ser o livro de papel. As letras são pequenas (agora aqui no Canadá tem muitos livros com letra grande que eles chamam "large print") mas apesar disso ler livro é mais gostoso em certo sentido, do que ler e-reader. É mais dinâmico, você pode ir e voltar facilmente para outras páginas. Enfim, eu não vou desfazer dos meus livros nem parar de lê-los, até porque livro de estatística na maioria dos casos não tem versão eletrônica. A tradição de ter livros, de ter uma biblioteca é interessante, legal. Livro é livro e faz parte do que é o ser humano... eu acho que eles nunca desaparecerão e espero estar certo...

O suco de laranja

Eu já tinha ouvido gente falar que no Brasil a gente produz de tudo, mas as coisas boas são esportadas e a gente fica com o resto. Estando de volta ao Brasil eu fui procurar suco de laranja nas prateleiras do supermercado. Pois é, eu não encontrei nenhum que fosse natural, sem água, sem aditivos e tal. Enquanto que aqui no Canadá, que não tem sequer um pé de laranja, você acha fácil soco de laranja 100% natural (pelo menos tá escrito no rótulo...). Denovo eu penso nesse sistema econômico que temos onde quem produz passa fome pois dá as coisas para quem tem dinheiro...

Farmers Market

Aqui não tem feira, mas tem algo similar o Farmers Market. Igual feira no Brasil, eles estão em lugares diferentes, dependendo dos dias da semana. Ontem foi o dia do maior em Toronto e ele é aqui perto de casa. E interessante, pra ir lá eu pego uma trilha de uns 3 Km, praticamente não passo em rua nenhuma.

Eles supostamente vendem coisas produzidas aqui então dizem que é tudo muito mais fresco e saudável do que os produtos comprados no mercado, mas também é mais caro. Comer local e orgânico é mais caro (É mais barato trazer do Brasil, eita sistema econômico legal esse hein). A gente também nota que os produtos tem aparência diferente e talvez gosto diferente também. Mas indo lá você nota outra coisa - como a agricultura é limitada aqui. É estranho, por exemplo, não encontrar lá laranja, abacaxi, abacate, melancia, manga, banana, todas essas frutas tão comum no Brasil. Eu comprei uns pêssegos e ameixas mas... chegando em casa me pareceu meio difícil viver só com os produtos locais, tipo uma bananinha vai bem... eu senti falta das frutas tropicais...

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Viagem ao Brasil

Pela primeira vez aqui no Canadá eu tirei 4 semanas de férias. Eu queria voltar para o Brasil e ficar um tempinho a mais com a família. Até porque já faziam 2 anos que eu não voltava.

Voltar ao Brasil desta vez foi interessante. Eu vi coisas boas e coisas ruins. Quando a gente vive num país diferente, como o Canadá, a gente consegue avaliar melhor o nosso país, comparando com o que vemos lá fora.

O Brasil é um país legal melhor que o Canadá em muitas coisas e nem estou falando do clima. A gente tem tecnologia, temos muitos sujeitos inteligentes, temos pessoas com vontade e boas idéias, temos coisas que os estrangeiros invejam e querem imitar. Mas... por outro lado temos um povo desinteressado por coisas importantes, temos políticos desinteressados pelo povo, temos corrupção todo dia no jornal e em todo nível da administração pública e temos uma justiça que não faz nada.

Essa foi a impressão mais forte que tive ao voltar ao Brasil, um país legal onde se vive cada um pra si. São coisas que já se falava, já se sabia, mas dessa vez houve uma impressão maior, não sei, talvez por causa da percepção de que falta muito pouco para sermos melhores os Canadenses, falta apenas por a cabeça no lugar pois temos tudo o resto. E isso é frustrante quando voltamos ao nosso país, com saudades dele...



Maio Junho Julho

Nossa, nunca fiquei tanto tempo sem escrever por aqui. Não sei o que acontece, eu sempre acabo achando outra coisa para fazerr e desisto de escrever no blog. Nem vou dizer que agora vou começar a escrever denovo porque sei lá se vou...