domingo, 15 de fevereiro de 2009

Dia da Família

Amanhã é dia da família e não tem trabalho. É um feriado que pelo que entendi foi criado meio para termos um feriado no começo do ano, já que temos tão pouco feriados. Desde o feriado de ano novo que trabalhamos 5 dias por semana, todas as semanas. Agora uma pausinha. Nada comparado com o Carnaval, mas três dias seguidos já é bastante bom para quem quase não tem feriado.

O Canadá tem, se não me engano, 8 feriados por ano, e todos eles caem na segunda ou sexta feira, com excessão do Natal e Ano novo. São poucos feriados, os brasileiros hão de convir. De qualquer forma eu tenho me adaptado, nunca muito muito de fazer muita coisa em feriado mesmo... E que venha a segundona, que tenha sol ainda que abaixo de zero...

Valentine Day

Ontem foi o dia dos namorados por aqui. Bom, acho que não tenho muito a falar sobre isso...

Sobre o post anterior

Hehe, o post anterior ficou muito estranho. As fotos do verão não tem nada a ver com a paisagem aqui, agora, no meio do inverno. Mas é interessante comparar, pena que não tenho fotos do inverno no mesmo lugar, quem sabe amanhã se der coragem de voltar lá...

sol, frio sol...




Domingo, véspera do feriado do dia da família. Eu me sentia com a consciencia pesada por não ter treinado ontem, com uma maratona no calandário, e outra corrida de 30Km. E hoje estava afim de sair, de rodar pelas ruas, estava com esperanças de que eu pudesse ir longe... Saí por volta das 7h20 com 8 graus negativos, mas o temperatura prometia subir, o sol prometia sair.

Eu segui ao sul, em direção ao lago. A neve que derreteu quase por completo me fez ter vontade de voltar a correr na ciclovia que margeia o lago Ontario, o grande lago Ontario. Eu queria correr como no verão, correr até o High Park.

O dia estava gostoso, eu não sentia o frio. Logo o sol saiu e eu estava já na beira do lago vendo o sol no horizonte, flutuando sobre a água gelada. Passava por navios, barcos e lembrava tantas vezes que correra alí no tempo do calor. Muito cedo, pouco corredores, nenhum ciclista, mas o sal saiu, a temperatura tava subindo.

Em alguns lugares existe uma espécie de canal e a água da beirada é meio que separada do resto do lago. Nestes lugares a água estava congelada, era bonito, diferente, deu vontade de pisar lá, de andar sobre o lago. Por vezes eu parei de correr para olhar o gelo, para sentir o sol que refletia no gelo e batia no meu rosto.

Com cerca de 1h de treino eu sentia as pernas cansadas, tenho corrido muito poucoas vezes por tão longo tempo. As distâncias diminuiram muito no inverno. Mas eu pouco pensava nas pernas, outras coisas iam pela minha cabela, eu viajava na beleza do lago que eu não via a algum tempo, nas árvores agora tão diferentes. E segui para Oeste, o sol meio de lado, meio atrás.

Estou 2 horas atras do Brasil hoje que o horário de verão lá terminou. O meu solzinho das 8, mais ao sul do que a leste, é o solzão deles das 10h da manhã, em tempo de verão, o solzão quente deles que não derrete o gelo aqui. O meu idolatrado solzinho flutuando no lago é o solzão no meio do ceu do Brasil.

Eu segui e quando menos esperava estava no High Park, precisava atravessar umas pistas e pronto. Fiz isso e ainda que cansado preferi dar a volta no parque, margear o lago que fica no lado oeste do parque. Valeu muito a pena. Para a minha surpresa eu cheguei lá para ver um lago congelado. E não é um laguinho qualquer, é um lagão. Me aproximei do que antes era água, coloquei o dedo, duro como pedra. Empurrei para baixo, dei uns soquinhos, depois uns socões, o gelo não se movia. Quis pisar lá, parecia muito sólido. Mas a imagem de o negócio quebrando e eu me molhando todo naquela temperatura sub zero não deixou com que eu caminhasse sobre o gelo. Cedo, muita pouca gente no parque, e eu corria na beira do lago congelado como nunca havia feito. Era diferente, era bonito.

Eu já havia ido lá no verão, e as fotos são do lago no verão, completamente diferente de como ele está agora. Nesta ultima foto, agora, dá para sair andando na água depois desse mirante que tem aí...

Termineio o treino com uns 15 Km, uma hora e meia. Peguei o metrô de volta para casa, foi uma manha legal, que compensou. Quando cheguei em casa já estava mais quente, uns 2 ou 3 graus negativos...

sábado, 14 de fevereiro de 2009

Como na primavera

No dia 11 a temperatura subiu para maravilhosos 8 graus de manhã! Na verdade naquele dia a manhã estava mais quente que a tarde. Eu acordei cedo, eu precisava aproveitar e correr bastante. As 6 horas encontraria o Trevor para a nossa corridinha, mas eu comecei o meu treino às 5h06m. E rumei norte na Avenue Road, queria chegar perto da Wilson. Até lá seria uns 7 Km, ida e volta 14Km, e eu tinha 54 minutos, então eu sabia que não chegaria lá. Mas mesmo sabendo afundei o pé, queria chegar, queria tentar, queria acreditar que fosse possível. E como a muito tempo eu estive rápido, mas não o suficiente. 27 minutos de treino e eu dei meia volta, não queria deixar o Trevor esperando. Mais 27 para voltar, total = 54... eu tinha que voltar rápido. Mas a volta era mais descida e foi fácil.

O interessante disso tudo é que parece que a temperatura mais alta fez com que correr fosse muito mais fácil. Talvez porque eu estivesse de shorts também. Eu nunca fui tão rápido em temperaturas sub 0 graus, os treinos em Dezembro já foram ruins, e em Janeiro, frequentemente a 10 negativos, os treinos foram muito lentos. Fevereiro começou melhor e já estamos na metade e tem sido muito mais quente e eu definitivamente acho que a temperatura muito baixa afeta dramaticamente a performance. O Haile não faria uma maratona em 2h15 a 10 graus negativos (eu acho). Bom, não é fácil ficar lá fora por duas horas a 10 negativos...

Quando encontrei o Trevos as 6h da manhã eu estava meio cansado já, mas feliz. O treino com ele foi tranquilo, mais 6 Km devagar para descansar, mas eu senti as pernas, os músculos, eu terminei o treino com 16/17Km o que se fez sentir. No final do dia eu estava com o joelho direito doendo, e eu tive dificuldade até para dormir por causa da dor. No dia seguinte não senti nada, mas decidi não correr. De qualquer forma teria sido complicado correr, estava chovendo bastante e temperatura de uns 4 graus. Pela primeira vez em Fevereiro eu fui de metrô para o trabalho por causa da chuva.

Ontem continuei não sentindo nada e rodamos mais 6 Km no nosso tradicional loop até a Eglinton. Hoje acordei tarde e desisti de ir correr, um pouco por causa do frio de 8 negativos. Pois é, infelizmente parece que acabou-se o que era doce, e vamos curtir mais um pouco de frio. Mas nesse momento, meio de Fevereiro, não posso deixar de dizer que a expectativa pelo final de Março, por Abril e as temperaturas crescentes, pelas folhas nas árvores e os pássaros, essa expectativa cresce.

Hoje a média semanal atingiu 53Km, média que só esteve tão alta no começo de Dezembro. Vou tentar mantê-la...

domingo, 8 de fevereiro de 2009

Domingo liso

A temperatura subiu ontem, a neve derreteu, a noite ela caiu e a neve derretida congelou e lá fui eu correr de manhã... O chao estava perigosamente liso. Correr na neve é legal e não é perigoso, mas a neve que derrete e congela denovo não é neve, é gelo. Liso como sabão. Ou mais.

Depois de um pouco de corrida eu notei que o esforço para pisar "macio", sem forçar muito para não escorregar, me consumia mais energia do que o esforço para correr num ritmo bem maior. Eu estava cansado de tomar cuidado para não escorregar e cair e sempre que eu me descuidava um pouco o chão liso que não dava apoio me pegava de surpresa, dizendo que era melhor eu tomar cuidado.

Resolvi que o esquema era correr no meio da rua o máximo que pudesse, pois lá não é como na calçada, lá não tinha gelo. E por uns 2Km de treino consegui ruas só para mim num bairro residencial e a falta de gelo no chão comprovou o tamanho do esforço que eu tava fazendo para correr no gelo que vinha e ia, que me pegava de surpresa nas calçadas.

NO final das contas o treino de uns 9 Km foi legal. A temperatura de 2 positivos parecia mais fria que os 2 negativos de ontem, por causa do vento. Mas ambas são muito melhores que os 15 ou 20 negativos que Janeiro trouxe para a gente em muitas das manhãs. O treino foi legal, eu estou me esforçando para não parar no inverno e devo admitir que não tem sido fácil... mas estou conseguindo...

sábado, 7 de fevereiro de 2009

Na espera pela primavera

No post anterior, escrito a bastante tempo, eu pensei que tudo voltaria ao normal. Grande ilusão, de lá até agora fez muito frio, eu pouco corri e só agora que as coisas melhoraram. Hoje, quando saí para correr com 2 graus negativos, eu estava feliz afinal fazia tempo que não corria numa temperatura tão agradável. Em inglês diriam "nice and warm". Pois é, tantos foram os 10, 15, 20 negativos que 2 negativos a galera já tá pensando em ir nadar no lago.

Enfim, hoje eu saí cedo para o treino, para tentar voltar ao normal. Resolvi sair do loop de sempre, que sobe a Avenue até a Eglinton desce pela Yonge ou pela Mount Pleasant. Loop curto e conveniente, sem ir para muito longe, mas cá entre nós, com 10 negativos ninguem quer ir muito longe mesmo. Hoje porem, estava nice and warm e eu subi pela Bathurst, até a Sheppard, de lá voltei para a Yonge. Uns 13 Km em 1h06m. Nada mal... nada bom. Me senti um pouco cansado, pernas cansadas, mas aos poucos vou ter que ir incluindo uns longos nos sábados.

Parece que os próximos dias serão mais quentes do que de costume, espero que sim, que Fevereiro seja mais quente que Janeiro e vamos rumo a Primavera!