segunda-feira, 8 de março de 2010

Yates e a Correção de Continuidade

Achei um artigo interessante sobre um estatístico (aliás tá havendo um debate sobre o nome correto desse profissional, seria estatiscista ou estatístico ou estatista?) que todos nós já ouvimos falar, o Frank Yates, ou simplesmente Yates. Ele é famoso pela sua correção de continuidade nos testes qui-quadrado e também pelas contribuições em planejamento de experimento. Não só o artigo, mas também achei a revista interessante, que fala sobre a história da probabilidade e estatística, e é aberta ao público.

Sobre o Yates, ele foi aluno do Fisher efoi inegavelmente influenciado pelo Fisher. A correção de continuidade tem o objetivo de tornar o resultado teste qui-quadrado mais em linha com o teste exato de Fisher. Mas a correção de continuidade, assim como o teste exato de Fisher, não foi unanimamente aceita, e muita controvérsia surgiu desde o seu artigo em 1934. Naquele mesmo artigo Yates meio que foi um dos pioneiros a divulgar o teste exato de Fisher, pois Fisher criou o teste mas praticamente não divulgou.

As controvérsias a respeito da correção de continuidade de Yates levou o próprio a escrever outro artigo 50 anos depois, em 1984, defendendo a correção. Mas até hoje há prós e contras essa correção, quer por causa do padrão usado ser o Teste exato de Fisher, que é baseado num esquema de amostragem que considera as marginais da tabela fixas (condiciona nas marginais), quando na verdade geralmente apenas o total da tabela é fixo, quer por simulações que mostraram que a correção é conservativa.

Mas hoje em dia há debates maiores em estatística e a correção de Yates é amplamente utilizada. Polêmica ou não, ela fez parte e ainda faz de inúmeras análises estatísticas e softwares e está presente em muitos livros. Correto ou não, o seu artigo de 1934 é importante na história da estatística.

Nenhum comentário: