sábado, 20 de março de 2010

Sobre gatos e cachorros

Estou lendo esse livro, que acho sensacional e eu comprei junto com a Lika, quando ela estava aqui e a gente foi na livraria para esperar o horário do cinema. Aliás eu podia ter pago menos se tivesse comparado na Amazon.

O livro tenta explicar como algumas civizilações se desenvolveram mais do que outras, pro exemplo, porque os europeus vieram para as Américas e conquistaram e exterminaram os nativos daqui, ao invés dos que viviam aqui irem para lá e conquistarem a Europa. O livro é sobre a teoria do sujeito, que faz muito sentido, embora eu goste de falar que é uma teoria, não é algo assim irrefutavelmente provado como os teoremas matemáticos.Essencialmente foi porque os Europeus conseguiram se desenvolver mais, mais precisamente conseguindo ter armas, doenças e aço antes dos que viviam aqui nas Américas. Todas essas três coisas foram determinantes no extermínio de povos tidos como inimigos. Mas a questão que o livro tenta responder é porque os Europeus conseguiram se desenvolver mais, dado que todo mundo vem de um ancestral comum na Africa, o que fez com que alguns povos evoluissem mais que outros, comque alguns fosse a lua em um momento em que outros ainda estavam na idade da pedra?

A resposta é uma estória bem longa, uma teoria que faz muito sentido sobre a história da humanidade e que foca na história antiga do ser humano, tipo, de 2 a 10 mil anos atrás. Eu estou no meio do livro, na parte da domesticação dos animais, que foi uma das coisas que fez uma grande diferença na evolução da espécie humana. Tanto que até a primeira guerra mundial o cavalo era uma das mais importantes trunfos nas guerras.

Um animal domesticado se torna diferente de seu ancestral selvagem, ele ganha características úteis para o ser humano, perde instintos selvagens de certa forma, tem reprodução e alimentação controladas. Um exemplo é como o cachorro é diferente de seu ancestral selvagem, o lobo. Ou como um frango é diferente do seu ancestral selvagem (eu nem sei como é o selvagem na verdade, mas o domesticado cresce rápido, produz muito mais carne e tal). E assim vai e aconteceu com plantas também. Alguns animais podem ser mansados, mas não são nunca realmente domesticados no sentido de se tornar economicamente úteis para o ser humano. Macacos e elefantes, por exemplo, não foram nunca domesticados, eles são somente amansados no sentido que não adquiriram características diferentes dos seus ancestrais nativos. Pouquíssimos são os animais realmente domesticados e de suma importância para a nossa evolução, aguns são a vaca, o cavalo, a ovelha e o porco. A maioria dos animais não podem ser domesticados e os grandes mamíferos dosmesticáveis o foram a milhares de anos atrás, dando grande vantagem aos povos que viviem nas áreas onde eles estavam. Dos grandes mamíferos das Américas apenas a lhama foi domesticada (o cachorro seria um pequeno mamífero não dando grande vantagem a quem o domestica) enquanto que muitos o foram no Oriente Médio (vaca, cavalo, porco, ovelha...). Não havia mais grande mamífero nas Américas que pduessem ser domesticados, os possíveis candidatos foram extintos há cerca de 13000 anos, no fim da última era do gelo, provavelemente pela ação da caça dos seres humanos.

Ok, agora rapidamente sobre os cachorros e gatos. Existem várias características que tornam possível um animal ser domesticado e uma delas é o tipo de sociedade em que vivem os seus ancestrais nativos. Geralmente apenas animais que vivem em bandos, com uma hierarquia definida e cujo grupo tem território com intersecção com territórios de outros grupos é que podem ser domesticados. Só animais que vivem em bandos aceitam conviver com outros animais e só animais que vivem em bandos com hierarquia aceitam substituir o nível mais algto da hirarquia pelo ser humano, e eles passam a seguirem o ser humano. É o caso do cachorro que passa a ter o ser humano como o lider. A única excessão à regra e o gato, cujo ancestral nativo é um caçador solitário. Por isso o gato não é social, e não segue o ser humano, não viveria com um monte de outros gatos. A única razão pela qual o gato pôde ser domesticado foi que o objetivo de sua domesticação era ser um caçador solitário de pestes, como o rato, ou então ser um bicho de estimação. Mas o gato não é um grande mamífero e assim não contribuiu tanto quanto os grandes mamíferos para a evolução da espécie humana. Os grandes mamíferos para serem úteis tinham que aceitarem viver confinados em grandes grupos e tinham aceitar o ser humano como seu lider.

Há outras razões que impedem animais de serem domesticados. Por exemplo, a zebra nunca pôde ser domesticada por ser agressiva. Ela morde as pessoas. E interessante, ela não deixa ser laçada, ela vê o laço vindo e tira a cabeça. O rinoceronte seria extremamente útil se pudesse ser domesticado, mas ele é extremamente agressivo, matando mais gente na Africa do que os leões. Mamíferos carnívoros não são tão úteis para o ser humano pois ele consome muito mais comida para produzir um kg de carne do que um herbívoro. O cachorro é onívoro, não carnívoro e em sociedades antigas onde eles eram usados como alimento, eles se alimentavam sobretudo de vegetais e restos que iam pro lixo. Ursos são na maior parte herbívoros, mas não perdem a agressividade. Elefantes demoram muito para crescer e se tornam inviáveis.

É interessante que pouquíssimos animais foram domesticados alem dos que já haviam sido a mais de 2000 anos atrás, e praticamente nenhum grande mamífero foi domesticado recentemente, apesar das tentativas inclusive com a alta tecnologia da genética.

Recomendo a leitura do livro para quem gosta dessas coisas, ele é muito bom.

Nenhum comentário: