domingo, 2 de maio de 2010

Treino diferente

Hoje quando liguei o rádio ouvi a noticia de que a Yonge Street estaria fechada por causa da corrida Sportlife 10K, uma das maiores de Toronto. Fiquei então indeciso quanto a que rumo tomar no meu treino matinal pois pensava em ir na rua ver a galera passar..ou talvez se eu fizess um percurso que descia para o centro junto com o percurso da prova... E a indecisão durou até eu chegar lá na Yonge, daí, tendo que tomar uma decisão, resolvi subir a rua no sentido contrário ao da prova.

A prova tem largada em baterias a cada 5 ou 10 minutos e com isso na minha corrida eu ia me encontrando com as diferentes baterias vindo em sentido contrário. Rodei uns 3 Km e estava na linha de largada, logo após a largada de mais uma bateria. Com a aglomeração de gente na calçada eu resolvi entrar à esquerda e o clima da prova se foi com a vinda da calma do bairro residencial. Segui até a Bathurst e de volta para a Sait Clair e Yonge onde começei o treino, o último corredor ia passando no Km 3 dele quando eu terminava os meus 10 Kms.

No percurso eu pensei no fechamento da Yonge e na fila de carros lá esperando para poder atravessá-la. A Maratona de Toronto também fecha a Yonge, a principal rua de Toronto e geralmente acontece umas duas semanas depois da Waterfront marathon que fecha a Gardner Express e várias ruas no centro da cidade. As reclamações foram tantas que ouvi dizer que as duas maratonas foram impedidas de acontecerem juntas neste ano, ao invés disso teria que ser uma em cada semestre.

Diferente da Maratona de SP ou de 99% das corridas em SP, essas corridas são todas para arrecadar fundos para alguma coisa. Essa Sportlife, que fechou a Yonge, arrecadou fundos para Camp Oochigeas, uma instituição que ajuda crianças com câncer. Dado esse objetivo, me pareceu um pouco injusto essa galera motorizada que reclama de ter a rua fechada um dia (um quarto de dia na verdade, se tanto) para arrecadação de fundos para pessoas que brigam pela sua sobrevivência, não para chegar num lugar num domingo com uma rua no caminho estando fechada. Imaginei que talvez fosse aceitável ter eventos em todos os domingos do ano, fechando ruas principais da cidade, se o evento tem esse objetivo. E olha que eu nem sou assim tão a favor de se doar dinheiro para essas instituições, pois acredito que em muitos casos já pagamos impostos que deveriam mantê-las. Enfim, me pareceu que as reclamações talvez sejam resultado da pouca informação que a população tem sobre esses eventos e como fugir deles.

A situação também confirma que nós não abrimos mão do nosso conforto para fazer algo pelos outros. Apesar de eventos beneficientes serem muito comuns aqui, e inclui-se nisso a consciencia ambiental, as pessoas só vão até o ponto em que eles não tem o seu conforto comprometido. Assim, enquanto essas coisas não forem prioridade sobre economia, conforto, estaremos fazendo muito pouco pelo meio ambiente ou por aqueles que precisam.

Nenhum comentário: