quarta-feira, 26 de maio de 2010

Faculdade contra faculdade

A galera do egroup que participo começou a discutir sobre que faculdade de estatística no RJ é melhor UERJ ou ENCE. O negócio começou a esquentar pois tinha uns sujeitos dizendo que quem vai pra UERJ é porque não consegue entrar na ENCE, criando no grupo uma certa richa de faculdades que estamos acostumados a ver. Parte do grupo ficou indignada com esta posição e os moderadores, que estavam mais perdidos que cachorro em dia de festa, acabaram por terminar com a discussão não permitindo mais emails sobre o assunto.

Eu estava de fora, me divertindo com a situação e analisando nossa natureza. Acredito que é do ser humano querer sempre ser melhor que os outros. Também caracteriza esse comportamento o sujeito que diz que a briga não leva a nada e tais emails não deveriam ser permitidos, mas dá a sua opinião (ele quer se posicionar como o sujeito maduro, que coloca ordem na situação). A situação estava hilária quando os moderadores interviram de uma forma que para mim caracterizou uma falta de liberdade de expressão.

Acho que é saudável discutir quais faculdades são melhores, quais não são, é saudável colocar pressão nas que não são boas para melhorarem. Mas o fato de a faculdade A ser melhor que a B não implica que o estatístico X é melhor que o Y simplesmente porque o X estudou na faculdade A e o Y na B.

Eu lembrei que eu estudei na Unicamp e havia uma rivalidade contra a USP, mas aí eu fui fazer mestrado na USP e pra mim era complicado dizer qual universidade era melhor. Eu adorei as duas, achei qualidades e defeitos nas duas e simplesmente achei que não dá para comparar. Me lembrei também que sempre estudei em escola pública antes de ir para a universidade, que com certeza era pior que as particulares, onde muitos dos meus colegas estudaram. Mas uma vez na Unicamp, fazia sentido dizer que eu havia estudado em uma escola fraca e o fulano em uma muito boa, mas ali, realmente, não havia diferença entre eu e o fulano.

Enfim, acho que é bom discutir a qualidade dos serviços que pagamos com nossas taxas, mas sem discriminar as pessoas...

Um comentário:

Mayumi disse...

É complicado... eu também fiz escola pública, até me formar na universidade. Mas, vejo que hoje, o ensino público está realmente muito, muito precário! Nem os funcionários da Secretaria da Educação colocam os seus filhos nas escolas públicas! Rsrsrs. Teve um político que elaborou um projeto de lei que dizia que todos os filhos de políticos tinham que se matricular e estudar em escolas públicas! Eu achei ótimo, mas vc acha que esta lei vai ser aprovada? Rsrsrs.