sábado, 8 de maio de 2010

O poder do método científico

Eu dei risada com este documentário, que é sobre um sujeito que se diz capaz de se conectar com bebês que não falam e entender o que eles pensam e tal.

Tenho que dizer que logo no começo achei bastante estranho o fato de ele "interpretar" os bebês falando coisas como "eu quero mais liberdade", "eu quero mais atenção", "mamãe tem uma cicatriz assim assim em tal lugar"... afinal eu tenho a impressão que esse tipo de pensamento é algo mais complexo não desenvolvido em bebês. Sei lá, eu penso que se vc conseguisse ler a mente da criança, como o sujeito diz que faz, você não ia achar muita coisa lá em termos de pensamentos elaborados. Talvez achasse mais palavras individuais, sensaçoes, sei lá.

Mas o que me atraiu no documentário e me fez começar a assistí-lo é que o sujeito concordou passar por alguns experimentos para confirmar o "poder" dele. Um experiemnto foi feito como famoso James Randi, que oferece 1 milhão de dólares para quem comprovar poderes paranormais. Me parece que até hoje ninguém ou praticamente ninguém topou participar dos seus experimentos. Mas esse aceitou.

Os desempenho dele nos dois experimentos mostrados no documentário foi patético. Ambos os experimentos visaram estabelecer a telepatia como causa única do que ele falava sobre a criança. Ambos os experimentos me pareceram totalmente adequados. Num deles ele ficou com a criança, sem a prensença dos pais, e a crinaça falaria (as crianças não falavam, ele diria o que as crianças falaram) coisas que seriam identificadas pelos pais posteriormente. Mas o que as crianças falaram não foi relacionado com a realidade, dado que os pais não conseguiram identificar o que seus filhos tinham falado (no meio de vários outros). Isso provou que na verdade as crianças não falavam para ele detalhes da familia. NO outro experimento a criança foi mantida com os pais em uma sala separada dele, a cada momento brincando com um brinquedo escolhido aleatoriamente. Se ele conseguisse se comunicar com a criança ele conseguiria saber qual o brinquedo ela estava brincando. Mas nada, só acertou 1 vez, o que seria o esperado pelo acaso apenas.

Mas eu fico surpreso com o fato de o sujeito ir participar do experimento e aceitar as condições mesmo seus atributos sendo uma mentira. Ele deve realmente acreditar que ele tem os tais poderes telepáticos, mas o que ele faz não é qualquer um que faz (o chamado "code reading", onde você consegue que as pessoas te dêem informação sobre detalhes da vida delas, apresenta essas informações a elas e elas pensam que você tem poderes especiais para conseguir esse tipo de informação que ninguém mais sabia). Um teste do cérebro mostrou que o cérebro dele tem ondas diferentes da maioria das pessoas. Eu então acho que ele tem algum problema mental que de alguma forma melhora a capacidade de ele fazer esse code reading tal que nem ele mesmo se toca que ele tá fazendo...

Enfim, temos que sempre desconfiar das informações que recebemos do mundo, existe muitas mentiras...

Um comentário:

Mayumi disse...

Oi, Marcos! Interessante este assunto! Esta de ondas diferentes no cérebro, rsrs, será que não somos todos nós que temos ondas diferentres uns dos outros? Rs. Bem, as pessoas que são paranormais, por exemplo, devem ser um caso á parte mesmo...