quinta-feira, 16 de maio de 2013

Nossa cultura

Para mim uma das coisas bastante interessante é tentar pensar no quanto somos influenciados pelo ambiente em que vivemos. Tipo, se você nasce e cresce numa comunidade religiosa, você provavelmente vai ser religioso. Ou se seus pais são políticos você provavelmente vai se interessar bastante por política. Se formos mais fundo acabamos nos perguntado sobre valores que para nós são tão obvios. Por exemplo, vamos para a escola e achamos que isso é o certo sem questionar, sem conseguir pensar em uma alternativa melhor. Hoje em dia muita gente questiona o sistema de educação e muitos pais ensinam os filhos em casa, não os mandam para a escola. Muitos acham que a escola doutrina, não ensina. Quem disse que ter provas, todo mundo ter que estudar matemática, começar aula as 8 da manhã... essas coisas todas são a coisa certa a se fazer? Ninguem disse, mas seguimos a música, sem questionar. Este sujeito deste vídeo (em Inglês) é uma das pessoas que acho que melhor discute os problemas do nosso sistema em relação a sustentabilidade, mas nessa entrevista ele aborda um pouco a idéia de como mudar o nosso sistema atual, sistema de marcado capitalista, guiado pelo lucro a qualquer custo. A mudança envolve mudança de cultura, de jeito de pensar. Talvez não mudança, mas simplesmente nos libertar do círculo vicioso em que estamos e sermos mais livres, não sermos tão influenciados. Ele argumenta que as pessoas tranquilamente trabalhariam "de graça", ou em troca de benefícios não monetários/material, porque seres humanos se sentem muito bem ajudando outros. E que seres humanos seriam muito felizes mesmo sem querer ter o melhor carros, casa, bike, sem querer ter de uma forma geral, pois a ideia de sempre querer mais é implantada em nós pelo sistema que se beneficia do consumismo. É a nossa obcessão por ter mais e mais que nos faz trabalhar 8 horas por dia, se quiséssemos ter somente o necessário, com a tecnologia atual, todo mundo viveria bem trabalhando duas horas por semana. O resto do tempo cada um usaria fazendo o que gosta e todo mundo teria muito mais tempo para exercer sua criatividade, e com isso teríamos mais invenções.  Eu não sei a parte das invenções, mas para mim a parte de trabalhar somente duas horas por semana sempe fez muito sentido - trabalhamos muito simplesmente porque nunca estamos satisfeito, sempre queremos mais, e querer mais foi plantado na nossa cabeça pelo ambiente que vivemos.



Nenhum comentário: