domingo, 19 de julho de 2009

História do Canadá - Capítulo 7 - Impérios em conflito

Antes de começar a falar sobre este novo capítulo vou comentar o comentário da Mayumi, no post do capítulo 6. Obrigado pelo comentário Mayumi! Pelo que entendi, não era que outras religiões eram proibidas completamente, mas a igreja católica tinha influencia muito forte, tinha muito poder, assim todo mundo tinha que aceitar as suas regras. Acho que isso implica em muitos casos obedecer e seguir as suas regras também. A Igreja católica já foi muito poderosa em alguns tempos e alguns cantos do mundo e sua história não é limpa. Hoje, sem o mesmo poder, ela tem mudado muito para se adaptar ao mundo e não perder seus fiéis. O Brasil é um país onde a Igreja Católica já foi muito mais poderosa mas tem perdido muitos fiéis. Ok, vamos ao capítulo 7.

O período entre 1713 e 1744 foi de calma na América do Norte. Foi um período sem guerras onde as colônias inglesas cresceram muito e se enriqueceram enquanto que as francesas ainda dependiam muito da França. Por outro lado os franceses tinha a maioria dos povos nativos como aliados. Nesse tempo o terrítório que pertencia a França na América do Norte era bem maior do que o inglês. Ele ocupava uma faixa que ia da costa norte do Canadá para o interior do que hoje é o Canadá e a maior parte do norte dos EUA, descendo ocupando todo o centro dos EUAaté o golfo do México. O território ingles era menor, porem dominava a maior parte do litoral incluindo partes onde hoje é o Canadá.

Em 1744 começou na Europa a guerra da sucessão austríaca (causada pelo fato de que não havia sucessor do sexo masculino para o trono). Inglaterra (que defendia o direito de uma herdeira mulher) e França (que não reconhecia esse direito) ficaram em lados opostos. Logo a guerra foi declarada e a notícia chegou na América do Norte onde a França começou capturando navios ingleses em terrítório ingles (Anapolis Royal) que era da França no final do século XVII. A inglaterra reagiou e tomou Louisbourg, uma das maiores cidades da colonia francesa, em 1745. Os ingleses dominavam a comunicação no Atlantico fazendo com que a colônia francesa tivesse que tomar sua sproprias decisões. O governo em Quebec atacou Massachusets e New Yourk e aumentou o volume de presentes dados aos nativos aliados. Em 1748 houve um tratado de paz pelo qual a França obteve de volta Louisbourg e devolveu a Inglaterra territórios da Noruega e India.

Apesar da paz o clima era de conflito. Nos tempos que se seguiram ambos ingleses e franceses tentaram se fortalecer para a guerra que inevitavelmente retornaria. Foi nessa época que os ingleses fundaram Halifax na costa do Canadá, como uma base militar estratégica. Mas ali era território dos nativos Mi'kmaqs, que não ficaram felizes com a base militar e declararam guerra contra os ingleses. A guerra durou mais de dois anos e os franceses aproveitaram para construir seu forte no limite do território frances e fortalecer a aliança com os Mi'kmaqs.

Em 1750, para proteger a comunicação francesas entre o Forte Fontenac (nordeste do lago Ontário) e Forte Niagara (Sul do Lago Ontario), os franceses construiram um o Forte Rouillé onde hoje é Toronto e colocaram alguns navios.

Em 1754 os franceses expulsaram os ingleses que comercializavam terras em Ohio. As colônias inglesas se uniram e resolveram atacar os franceses em 1755. Atacaram de uma vez Forte Basenjour, Forte Frédéric, Forte Niágara e Forte Duquesne, mas só conseguiram ter sucesso com o primeiro forte, em Nova Scotia, onde viviam muitos franceses (chamados acadianos). Os ingleses resolveram deportar todos os franceses em suas terras no litoral do Canadá. Como a regiao era previamente da França, os acadianos haviam nascidos e crescidos ali. A deportação aconteceu, milhares de acadianos tiveram suas casas destruidas e foram levados para outras colonias inglesas mais ao sul onde passaram por muitas dificuldades. Alguns voltaram para a Frnaça mas não se sentiram em casa. Essa deportação foi um episódio de terror para milhares de famílias na costa do Canadá que perderam tudo o que tinham. Uns poucos que fugiram para New France se tornaram lutadores incansáveis contra os ingleses.

Em 1756 as atividades bélicas na fronteira da New France com as colônias inglesas se transformou no que se chama de Guerra dos 7 anos e era ainda uma continuação do conflito pala sucessão do trono Austríaco. Em 1956 as colonias francesas bloquearam o acesso dos ingleses aos grandes lagos e no ano seguinte tomaram um forte deles, o que fez aumentar muito a revolta das 13 colônias inglesas contra os franceses. Nesse meio tempo os franceses se desentendiam quando a estratégia de guerra a se adotar. Um oficial da Europa usava estratégias européias enquanto outro da colônia dizia que aa tática de guerrilha seria melhor. No que eles se desentendiam os ingleses tomaram novamente Louisbourg e deram início ao seu plano de bloquear a saída para o mar dos franceses de forma que eles não pudessem receber nada da Europa. Os ingleses seguiram capturando a Ilha St John e dizimando os Mi'kamaq e a resistencia acadiana na região do atlantico. Seguiu se a tomada do Forte Frontenac e com isso o bloqueio dos franceses na região de Ohio. Em 1759 os Ingleses começaram o cerco a Quebec e com isso foi impossível para os franceses segurar a batalha no interior. Em Julho de 1759 o Forte Niágara foi tomado e o forte Rouillé foi destruido pelos próprios franceses para evitar que se tornasse uma posição inglesa. A fome se alastrava por Quebec antes mesmo dos ingleses chegarem e a condição era desesperadora a ponto de a população começar a sacrificar cavalos para ter o que comer.

Apesar da situação os ingleses não conseguiram tomar Quebec facilmente. A tomada de Quebec acabou acontecendo por um causa de um erro estratégico dos franceses em Quebec que ao inves de esperar os ingleses chegarem nas paredes da cidade (a cidade era cercada por uma parede), resolveram atacar os ingleses. Nisso os franceses se puseram em desvantagem e apesar de os ingleses ainda não tomarem a cidade, os seus habitantes já não suportavam mais a situação de guerra e fome e se renderam. Os ingleses tomaram a cidade e no ano seguinte (1760) os franceses ainda tentaram tomar Quebec, mas não conseguiram. Eles haviam perdido a guerra e a colônia.

Com as negociações seguintes, os ingleses garantiram aos canadenses o direito de ficareme manterem suas posses ou irem para a França levando seus bens. Garantiram a eles que não seriam deportados. Garantiram aos povos nativos que eles teriam suas terras como antes da guerra. As terras a Oeste do Mississipi foram dadas a Espanha e terminou então a ameaça Francesa aos ingleses na América do Norte.

O tratado que definiu tudo issofoi de 1763. Este ano marca o final da Parte 2 do livro e o início da Parte 3 - América do Norte Britânica. Até agora a história do Canadá foi dirigida pelos franceses, agora passa para a mão dos ingleses.

Um comentário:

Mayumi disse...

Primeiramente, muito obrigada pela resposta!
É, o quebra-cabeça dentro da minha imaginação começa a se formar! Quer dizer que, no final das contas, Quebec, que era para ser dominado pelos ingleses, acabaram ficando com os franceses?
Mas esta dos franceses serem deportados e voltarem para a França e não se sentirem em casa lá, lembrou-me o sentimento dos coreanos nascidos no japão: lá no Japão, eles são considerados coreanos, mas quando voltam para a Coréia, eles não são considerados coreanos. Eu fico pensando na sensação que muitos nikkeis sentem quando vão ao japão pela primeira vez: aqui no Brasil, por causa dos traços de fisionomia, são considerados japoneses. Mas quando vão ao Japão, somos considerados estrangeiros! Rsrsrs. Eu desencanei! Cheguei à conclusão de que sou uma brasileira com rosto de japonesa! Rsrsrs.
E quanto a comer carne de cavalo, eu já comi! Lá na região da provícia de Kumamoto, ao sul do japão, come-se carne de cavalo cura. Esta iguaria chama-se "basashi". Muito bom! Quer experimentar? Rsrsrs.