segunda-feira, 5 de abril de 2010

A escrita

Hoje em dia a gente lê e escreve com tanta facilidade que não conseguimos imaginar o quão difícil foi inventar a escrita. Neste livro que estou lendo fala um pouco disso.

As evidências indicam que a escrita foi primeiro desenvolvida na Suméria, no Oriente Médio e depois na Grécia. Nos primórdios do seu desenvolvimento ela era usada apenas para tarefas simples, como anotar dados de produção e impostos visto que estas eram coisas importantes de serem controladas. Era uma escrita rudimentar e tão cheia de ambiguidade que não era possível escrever uma narração com ela.

Além do Oriente médio, parece fazer sentido pensar que a escrita também foi inventada de forma independente na China e no México (pelos Astecas). Todos os outros povos que usavam a escrita podem tê-la desenvolvida a partir de contatos com os povos que já tinham a escrita e portanto não de forma independente. Os contatos com povos com escrita fez com que outros povos ou copiassem a escrita ou então usassema idéia para desenvolver sua própria escrita.

Diz-se que desenvolver a escrita de forma independente era algo muito difícil. A forma mais fácil da escrita seria aquela para a qual cada símbolo denota uma palavra inteira. Esse tipo de escrita teria então inúmeros diferentes caracteres, pois seria preciso um para cada palavra. Embora a quantidade de caracteres torne seu aprendizado e uso mais difícil, a invenção desse tipo de escrita não requer tanto esforço mental.

O segundo tipo é aquele que tem um caractere para cada sílaba, o mais famoso deve ser o japones usado ainda. Se eu não me engano a escrita Etíope, da língua Amárica, também usa caracteres baseados em sílabas. O uso se torna muito mais fácil pela diminuição drástica do numero de caracteres com relação ao tipo anterior, mas a sua invenção já teria sido mais complexa uma vez que é preciso fazer um inventário das sílabas existentes em uma determinada língua. Imagine que o próprio conceito de sílaba era algo complicado para povos que não tinham escrita.

O outro tipo de escrita é ainda mais complicado de ser criado por ser baseados em sons, vogais e consoantes. Esse é o que usamos. Ele teria sido bem complicado para ser inventado mas é bastante eficiente na medida que o número de caracteres diminui bastante.

Para nós, nos dias de hoje, a escrita é parte do dia a dia e todos a conhecem, mas é interessante pensar que houve um tempo em que ela não existia. Apenas coisas que eram emmorizadas passavam de geração para geração. Dois exemplos são os poemas gregos Ilíada e Odisséia, que se diz terem sidos criados antes da invenção da escrita e foi mantido por séculos apenas pela memória.

Um comentário:

Mayumi disse...

Oi, Marcos! Faz um tempão que não comento aqui, não é? Continuo lendo, viu? Rsrs.
Interessante este post! Realemnte, o japonês inventou dois tipos de escrita silabária (hiragana e katakana) e o outro que ele usa é o "emprestado" do chinês, que são os kanji, talvez este seja do primeiro tipo: uma letra para cada idéia! Nunca tinha pensado na invenção do alfabeto romano, embora tenha estudado fonética! Deve ter sido difícil mesmo estabelecer o que é vogal e o que é consoante, pois se baseiam em sons, e estes sons devem ser cuidadosamente analisados para se estipular de que modo são produzidos, de que tipo são (bilabiais, aspirados, glotais, etc.)... acho que vou parar por aqui! Rsrsrs. Se eu me empolgar mesmo, vou looonge! Adoro fonética e fonologia! Rsrsrs.
Ah, sobre o seu comentário sobre "correr em jejum", na verdade, se você fizer isto, fatalmente, vc esatrá queimando mais massa magra (músculos) do que gordura do seu corpo! E para se medir a gordura do corpo, tem que ser por um teste de bioimpedância! Uma pessoa aparentemente magra, pode ter mais gordura no seu corpo do que uma outra com aparência mais robusta! E é aí que mora o perigo! Kkkk. Estou brincado! Mss, de qualquwer forma, bons treinos! Vi que estão continuando a disputa das corridas! Boa sorte!