domingo, 20 de dezembro de 2009

Entrevista com o Dalai Lama

Esses dias eu estava ouvindo o rádio de madrugada e eis que numa emissora Australiana em programa entrevistou o Dalai Lama. Achei o programa interessante e procurei mais informação na internet e achei o site da emissora de rádio Australiana e o programa específico (inclusive com transcrição da entrevista) aqui.

Na verdade eu só escutei a parte 1 e o final da 2 (a parte 3 ainda não foi ao ar pelo que entendi). Eu acho essa entrevista interessante, principalmente para quem gosta do Budismo. É interessante que o Dalai Lama parece caminhar lado a lado com a ciência, o que acho que não é comum em outras religiões. Aliás do jeito que eu vejo e que fica ainda mais claro nesse programa é que o Budismo não é uma religião, mas uma filosofia talvez que tem provado ter validade.

Todo mundo um dia parou para se perguntar o que estamos fazendo aqui nesta vida e para onde vamos depois daqui. A religião oference uma explicação para isso mas se você for pensar no que o ser humano conhece (ao inves do que ele acredita) aí as explicações se tornam bastante difíceis (se é que tem alguma). Mesmo o conceito de bem e mal parece ter sido criado pela religião e pela necessidade que temos de conviver em sociedade. Bem é o que nos permite conviver sem atritos e o mal é o que destrói essa possibilidade de convívio coletivo. Eu imagino que aqueles que procuram explicações fora da religião, algo mais científico acabam concluindo que nosso objetivo aqui é ser feliz. Isso é o que eu acho que o Dalai Lama consegue explicar de forma bastante interessante e razoável - como ser feliz. E me parece sua teoria é inclusive apoiada por certos psicólogos. Existe a chamada psicologia positiva que eu li pouco a respeito é uma coisa nova, direcionada a busca da felicidade, estudada com métodos científicos.

Nessa entrevista há um pouco disso, a visão do Dalai Lama ao lado da de psicólogos, pois estes também participam da entrevista. Acho que tem muito para pensar nesse assunto e é melhor eu não falar muito senão vou acabar falando bobagem (se já não falei...).

Nenhum comentário: