sexta-feira, 12 de julho de 2013

O mundo definido por fronteiras

Quando eu vim para o Canadá eu quis fugir de uma cidade grande, quis conhecer o mundo, ganhar novas experiências e aventuras, aprender falar Inglês, aprender mais estatística, ter mais segurança. Para isso abri mão de muitas coisas, tantas que na verdade não penso que abri mão e penso em voltar um dia. Lembro das palestras em São Paulo onde Canadenses faziam propaganda, maketing mesmo, propaganda exageradas sobre o Canadá. O ponto é que eles faziam, e fazem de tudo para atrair imigrantes, escolhem somente os com mais estudo, com mais condições e quando essas pessoas chegam aqui estão pronta para o mercado de trabalho, formada com recursos dos outros países e "roubadas" descaradamente desses países. Obviamente só vem para cá quem quer, alguns ganham muito com isso, outros perdem, mas o Canadá como um todo só ganha. Em outras palavras, o Canadá não é um país bãozinho ao qual temos que agradecer e nos sentir superior porque viramos Canadenses, é um país interesseiro, como outros, que quando atrai imigrantes não pensa nas consequências disso para os outros países que perdem essas pessoas tão qualificadas, países que precisam dessas pessoas para se desenvolver. Se o Canadá quisesse ajudar pessoas, deveria aceitar Brasileiros pobres, que estão passando necessidades, não os que já estão bem de vida no Brasil, por exemplo.

Essa foi sempre a minha visão, apesar que eu nunca liguei muito para isso já que para mim o mundo deveria ser sem fronteira e você ser Brasileiro ou Canadense não deveria ter importância alguma. Só que o mundo não é sem fronteira e o nacionalismo existe e causa guerras e tudo mais. O Canadense não é racista em geral e aceitam e tratam muito bem imigrantes, mas sempre houve uma sensação largada no ar de que no fundo não é bem assim - O Canadense é orgulhoso de seu país, como também o Brasileiro, e não acha legal esse negócio de sujeitos de outros países virem morar no país deles e se aproveitarem de tudo que eles contruíram (claro que estou generalizando e nem todos são assim ou assado). Não é difícil visualizar essa situação, mas veja que isso é o oposto do que eu escrevi acima, dado que são eles (Canadá e Canadenses) que estão se aproveitando dos imigrantes e dos países de ondem eles vêm, da necessidades que esses imigrantes têm, da falta de opção que eles acham em seus países.

Mas essa aversão à imigrantes não é aparente, não afeta ninguêm diretamente, apenas paira no ar. E todo esse contexto que eu dei acima é para comentar essa notícial onde três sujeitos não querem jurar lealdade à Rainha da Inglaterra (que também é rainha do Canadá e de outros países como Austrália). a aversão a imigrantes fica clara nos comentários, embora eles naõ sejam uma amostra representativa e com certeza podem na verdade representar uma minoria. Nas minha cabeça comentários do tipo "se você quer ser cidadão Canadense tem que aceitar essas regras, senão volte para onde veio", que aparece muitas vezes, aliás quando eu li eram a maioria, carregam um racismo inaceitável. Especialmente porque a monarquia é discutida e rejeitada por muito Canadense. Ou seja, você pode falar que acha que o juramento deveria ser feito, e depois questionado, mas não é uma situação para tanta agressividade e desprezo, isso para mim mostra sim mais do que a discordância com a situação em particular, mas a aversão à imigração em geral.

Infelizmente ainda somos ligados fortemente ao nosso país, infelizmente as nossas fronteiras e cultura ainda nos faz pensar que somos de alguma forma melhores do que outras fronteiras ou culturas, que cada um deve viver com os seus. Infelizmente esse é o tipo de valores que nos levam a incerteza de que as futuras geraçãoes terão um planeta. Eu cada vez mais penso que para salvar o planeta é preciso primeiro destruir as fronteiras, e ainda estamos longe disso.







Um comentário:

Luis Augusto disse...

Gostei do ponto de vista.....gostei bastante.