terça-feira, 9 de julho de 2013

A queda de uma lenda

A derrota do lutador Brasileiro Anderson Silva neste fim de semana tem dado muito o que falar. O problema foi que ele não só foi nocauteado, mas foi nocauteado quando estava zoado do outro lutador. A minha primeira reação foi de vergonha, tipo "tinha que ser brasileiro...".

Os Brasileiros parece terem ficado todos muito bravos e decepcionados, tipo "foi brincar e desrespeitar o adversário e se f****...". Para quem é fã, a sensação foi de traição, tipo a galera foi até Las Vegas para ver o sujeito "entregar a luta".

Quem não é fã dele e não via hora de vê-lo perder tem a visão de que o nocaute foi devido ao adversário ser realmente melhor e não tem essa de ter entregado a luta. Tipo, ele tem feito a mesma coisa em outras lutas e ele não tava brincando nem desrespeitando, aquilo era estratégia que não funcionou dessa vez.

E existem muitos outros pontos que quem segue de perto o esporte vai mencionar, como o fato de o Anderson parecer não querer mais ser campeão, não ter mais vontade de lutar, de ele ter deixando o adversário segurar o cinturão antes da luta, de antes da luta mencionar que não importava se ganhasse ou perdesse, de ele dizer antes da luta que o resultado perfeito seria ele perder, tudo isso ele fala pela primeira vez; tem o fato de a derrota ser pelo menos teoricamente super bem vinda pela organização já que abre a possibilidade de uma nova luta entre os dois que todos vão pagar para ver, enfim, tem muitas coisas em jogo. Isso tudo gerou diferentes pontos de vistas e muita polêmica, principalmente porque o Anderson é considerado o melhor lutador que já existiu e não só não perdia desde 2006 como pouquíssimas vezes esteve sequer em apuros, suas lutas sempre pareceram muito fáceis.

Eu sempre procurei não ter ídolos, e nesses momentos chega a ser engraçado ver a religiosidade com que as pessoas defendem seus pontos de vista, seja ele teoria da conspiração, seja luta entregada, seja que o resultado foi justo. Tudo isso levado e incentivado pela mídia. Eu deixei de lado a decepção que tive no começo por logo ter visto que isso tudo é muito polêmico e ninguém realmente sabe de nada e não vale a pena eu perder tempo tentando adivinhar qual é a do Anderson, que nem sabe que eu existo. Vale a pena pensar e ter uma opinião, mas não brigar por ela quando tudo são suposições e crenças, ninguem tem prova de nada... Mas acima de tudo, é difícil para eu esquecer que tem muito dinheiro envolvido nisso tudo, e tem muita gente jogando com o povo, com a mídia, tem muita gente ganhando muito dinheiro e controlando muitas outras pessoas. Para mim entrar em discussões muito profundas sobre isso não é só perda de tempo, é cair no jogo deles.

O barulho existe em todo evento e falar bobagem para atrair o público é algo que ninguem nem esconde; mas não precisa, o publico não liga que muito do que falam, mesmo muito do que o Anderson fala, é simplesmente promoção de luta, é simplesmente formas de atrair o público e ganhar mais e mais dinheiro. O barulho enorme que está havendo reflete o sucesso das estratégias para atrair mais e mais gente para os eventos. Mas eu acho que o jeito que o Anderson se envolveu nessa derrota ainda é digno de um "tinha que ser brasileiro", nem que for pelo jeito que acabou, pela polêmica gerada, pelas aberturas deixadas para o questionamento de seu caráter. Eu prefiro continuar sem ídolos, como um observador de fora, tendo as minhas opiniões mas não morrendo por elas, estando consciente de que ter opinião é aprender mais do que crer.






Nenhum comentário: