quarta-feira, 27 de junho de 2012

UFC, Anderson Silva e nós

O lutador brasileiro Anderson Silva, tido como um dos maiores lutadores de Artes Marciais Mistas de todos os tempos deve lutar contra Chael Sonnen, seu arqui-rival no sábado dia 7 de Julho. A luta ganhou extrema repercursão porque Sonnen é o único a ter quase vencido Anderson e porque ele sempre falou muito mal do brasileiro e do Brasil, sempre extremamente ofensivo, sem respeito nenhum, a tal ponto que a maioria das pessoas acham que ele entra no terreno do inaceitável. Enquanto Anderson é do tipo de falar pouco e muito raramente responder as provocações de Sonnen.

Eis que na segunda, em entrevista coletiva, Anderson não só resolveu falar, mas falou tudo o que não havia falado em anos. Foi totalmente não característico dele, quebrando sua imagem de lutador profissional, simpatico, boa gente, respeitador. Eu penso em como isso deve ser interpretado.

 A interpretação geral na mídia é que Anderson perdeu a paciência e resolveu falar tudo, resolveu desabafar, soltar as emoções. O que ele falou foi realmente extremo em termos de como ele vai bater no americano, o que tem gerado inacreditável expectativa e ansiedade, visto que ele é tido como muito superior a maioria dos lutadores e todas as lutas no UFC tem sido fáceis para ele, exceto a que ele fez contra o Sonnen.

Eu achei a entrevista muito ruim para a imagem dele e até agora ainda penso que é simplesmente sensacionalismo e marketing para promover a luta, fazer as pessoas assistirem e tal. E por pensar assim, o Anderson caiu muito no meu conceito dele. Ele já vinha caindo com a repercursão do seu livro, mas agora eu realmente separei a pessoa, a qual é como outra qualquer, do lutador, que é realmente muito bom. Eu o via como embaixador do esporte, pessoa carismática, boa, respeitosa, que só divulga e pratica o esporte das artes marciais, não deixando isso afetar relações fora do ring. Sua agressividade agora o colocou no nível do Sonnen que foi falador agressivo mais do que lutador (não que eles seja ruim lutador, ou não agressivo, mas enquanto ele nunca conquistou nada nas lutas, ele seria campeão mundial de falar besteiras).

Mas o ponto é que por pensar assim eu acabo me vendo de fora do fuzuê que a entrevista do Anderson causou, e noto que a influência da midia, e indiretamente dessas entrevistas, nas pessoas é enorme. Se foi realmente uma estratégia de marketing então o que ele tá fazendo é simplesmente manipulando a gente para comprarmos o pay per view da luta, e ele ganhar mais grana. É colocar o dinheiro na frente dos brasileiros, na frente dos fans, de sua própia reputação, o que trás um mundo melhor para ele e para os seus, não para todos nós. Mesmo que ele tenha sofrido alguma pressão para fazer isso, não importa, é algo que vejo como muito negativo, apesar de comum e esperado no mundo atual. Já não chegava a decepção por ele não parar de fazer propaganda da droga do Burger King toda hora no Twitter. Com a entrevista o Anderson foi para o lado do Sonnen, se tornou um falador e desrespeitador igual ao Americano, uma propaganda enganosa ambulante. Bom, se ele ganhar de uma forma realmente impressionante talvez a gente possa dar um desconto por ele não ter só falado, mas feito... Mas não sei, ele começoou falando demais no seu livro, que foi inclusive tirado de circulação, agora isso... caso difícil.

Nenhum comentário: