sábado, 30 de junho de 2012

A informação e suas interpretações

Um interessante problema que temos no dia a dia da pesquisa é exemplificado aqui. Note que se você lê a noticia e se depara no primeiro parágrafo com a informação que dois levantamentos acabaram mostrando resultados muitos diferentes em termos de market share of navegador, você logo pensa que tem picaretagem por aí. Enquanto esse tipo de oportuniddade é usado extensivamente para promoção, os números diferentes, por sí só, não são picaretagem.

A galera do Windows já foi logo dizendo que o levantamenteo X, que coloca o Internet Explorer na frente, é o correto. Esse é um exemplo da de mentalidade corporativa, de defender a sua marca a qualquer custo, não importando realmente qual número é o correto mas sim qual é o melhor. O fato de o objetivo não ser a busca da informação correta, ou nesse caso simplesmente da interpretação correta, mas sim usar a informação para obter lucro é bastante destrutivo porque o que se busca é fazer a população pensar do jeito que eles querem (ou acham lucrativo) ou invés de pensar usando boa informação. Pelo menos a galera do Google preferiu não puxar a sardinha pro seu lado.

Enquanto isso, a verdade é que existem muias possíveis definições de marketing share para navegador e não existe uma que todo mundo concorda ser a melhor. O que temos aqui né é informação conflitante mas sim diferentes informações. Em um caso o marketing share é o % de pessoas que usam um determinado navegador, enquanto no outro é o % de páginas visitadas usando cada navegador. Note que a primeira definição é ainda incompleta, tipo, precisasamos entender o que se faz quando o mesmo indivíduo usa mais de um navegador - eu por exemplo uso 4. O primeiríssimo passo ao se encontrar esse tipo de discordância é entender se as informações são comparáveis - nesse caso há enorme diferença de definição, mas pode haver diferenças na metodologia de coleta de dado e na abrangência da mesma também.




Nenhum comentário: