sábado, 20 de abril de 2013

De volta para o frio

Depois de a temperatura ter chegado acima dos 20 graus, ontem ela caiu para os 15 e hoje para zero. Quando saí para correr de manhã estava frio, com um pouco de vento e úmido. Eu queria correr um pouco mais mas as pernas estavam cansadas, mesmo depois de não ter corrido ontem. O frio logo foi-se por causa do exercício, o dia amanheceu e eu corri por ruas na maior parte desertas. Eu geralmente corro em avenidas pois não tem como se perder e elas vão longe, é fácil planejar, é fácil saber onde se está também e pegar transporte público se ficar cansado. Mas os carros nunca são bem vindos e eu tenho tentado correr mais em ruas residenciais, fora das avenidas. Uma coisa ótima é que dá para ouvir rádio na boa, dá para entender tudo e tal, ou dá para pensar no que você quiser pensar, se vc não quiser ouvir rádio. Hoje eu ouvi um programa da BBC antes das 6 da manhã onde o sujeito falava de como o Maradona era legal como pessoa mas muito ruim como treinador de futebol. Ás 6 o noticiário, onde se fala mutios sobre o atentado em Boston, e depois das 6 tem um programa misto, que ue não gosto muito, então eu dei uma parada para mudar para os meus podcast. Eles estão organizados meio aleatoriamente e hoje a conversa era sobre filosofia, onde uma parte mais  interessante foi a crítica do sujeito aos textos filosóficos, que muito poucos entendem, ele argumentava que a filosofia tem que ser entendida por todos, pois é importante na vida de cada um em termos de ajudar a esclarecer onde queremos ir nessa vida. Sei lá.

Eles também comentaram aquele famoso problema filosófico onde o trem tá se aproximando de uma bifurcação, e ele vai ir para a direita, e vai matar 5 pessoas que estão trabalhando nos trilhos. Mas vc tem a oportunidade de apertar um botão que faz o trem ir para a esquerda e aí ele mata uma pessoa só. Aí tem a questão moral, se vc aperta o botão ou não, e tipo, moralmente parece aceitável apertar o botão porque se salva 4 vidas e tal. Então eles fazem uma alteração no problema, agora vc tá em cima de uma ponte, o trem vai passar em baixo e vai matar cinco trabalhadores lá na frente. Mas se vc empurrar uma pessoa da ponte e a pessoa cair no trilho, isso vai fazer com que o trem pare antes de matar os cinco sujeitos. Ou seja, tudo igual, só que agora vc não aperta o botão, vc tem que ativamente empurrar o sujeito para a morte. Nesse caso, empurrar é tido como moralmente inaceitável, tipo, é o que as pessoas acham. O problema incentiva a discussão sobre o que é moral e o que é moralmente certo ou errado.

Enfim, correr também é filosofia...

Nenhum comentário: