domingo, 24 de abril de 2011

História do Canadá Capítulo 17 - A Nova Ordem Industrial (1867 a 1914)

Em 2 de Janeiro de 2010, mais de um ano atrás eu escrevi o resumo do Capítulo 16 do Livro de História do Canadá que estou lendo. Vergonha de uma certa forma, mas hoje, quando lí o Capítulo 17, notei que a parada foi estratégica, sem querer ser. Isso porque o Capítulo 17 é sobre a Revolução Industrial e o Capitalismo mudando de vez o Canadá, e eu acho que aprendi bastante sobre essas coisas em 2010 - tivesse lido o Capítulo 17 antes eu talvez tivesse interpretado de outra forma.

A Revolução Industrial que começou na Inglaterra mudou muito o Canadá no final do Século XIX. Essas mudanças são fruto do domínio dos meios de produção por uns poucos que fazem todo o que fazem e produzem tudo o que produzem com o único objetivo de ganharem mais dinheiro. Eu não conheço a história de outros países bem, mas é difícil ver essas mudanças como específicas do Canadá, elas são na verdade trazidas pelo Capitalismo e o objetivo prioritário de enriquecimento. Segue alguns pontos interessante trazidos pela Revolução Industrial e Capitalismo no Canadá, segundo o livro.

Políticas Nacionais e grande crescimento do GDP - Foi um tempo de crescimento econômico astronômico, ajudado pelas políticas de proteção tarifária, construção de ferrovias e incentivo a imigração.

As máquinas a vapor derem lugar aos motores de combustão interna. Assim como desenvolvimentos em comunicação foram impressionante, como a invenção do Telefone. Transporte e comunicação ficaram mais baratos (conquista do tempo e espaço). Comoça a ser possível transportar produtos a grandes distâncias aumentando enormemente o mercado para eles.

Enorme desenvolvimento do setor secundário (indústrias). Aconteceu em duas fazes, primeiro expansão dos bens de consumo (textil, alimentos) e depois dos bens de capital (máquinas e tecnologia).

Desenvolvimento da agricultura - Grandes fazendas começaram a crescer e pequenas propriedades ficavam cada vez mais economicamente inviáveis. Famílias que eram praticamente auto-suficientes em suas terras começaram a se mudar para as cidades ou viver em condições de bastante pobreza. Nas cidades as perspectivas eram ruins, baixa remuneração e exploração. O sistema raramente favorecia os menos afortunados e começaram a aparecer favelas.

Peixe, florestas e pele - O crescimento na construção causou o corte de muitos milhões de árvore no Oeste do Canadá, que em sua maioria eram exportados para os EUA. O Salmão e o Bacalhau foram depredados como nunca. Os animais caçados para pele começaram a ficar raros e a criação em cativeiro de alguns animais começou a se desenvolver como alternativa à caça.

Recursos Minerais - O Canadá tem enormes reservas minerais. Com a Revolução Industrial a demanda por Niquel, Ferro, Carvão e Cobre ao redor do mundo cresceu e a exploração mineral no Canadá se desenvolveu como nunca.

Setor Terciário - O setor de serviços, até então inexpressivo, se desenvolveu muito como atividade de apoio ao crescimento industrial.

Conceito de Corporações - Apareceram as diferentes formas de gerenciamento e a riqueza pessoal se separou da corporativa. O dono da empresa não necessariamente gerenciava a empresa e o trabalho começou a ser dividido em etapas, com trabalhadores especializados em cada etapa fazendo trabalhos repetitivos e muito específicos. Desenvolveu se os sistemas hierárquicos de relação entre trabalhadores, as autoridades, procedimentos de contabilidade e produção e custos trabalhistas.

Sobrevivencia do mais forte - Foi nesse período que a população indígena perdeu sua importância e foi marginalizada. Entre o resto da população, vivia bem quem se dava bem no sistema, que era a minoria que possuia os meios de produção. A desigualdade social proliferou, se tornou visível com os bairros ricos e pobres, quem antes sobrevivia com seus proprios meios em sua pequena propriedade era agora encurrado e marginalizado, forçado a ir para a cidade ou a viver na pobreza. A população das cidades explodiram, principalmente com trabalhadores mal remunerados e explorados. Havia a exploração infantil e feminina. A mulher que tinha um importante papel nas propriedades rurais era agora discriminada no trabalho em industria, considerada inapta para muitos tipos de trabalhos e na maioria das vezes acabava limitada a trabalhos domésticos e tomar conta dos filhos. Crianças eram obrigadas a ajudar na suplementação da renda, com trabalhos árduos e quase sem remuneração; as indústrias faziam muito lucro com o trabalho infantil e explorava o quanto podia (note que vergonhosamente o sistema hoje é exatamente o mesmo. Não houvesse leis e mulheres e crianças e tudo mais seriam explorados na medida do possível e impossível, dado que o objetivo no sistema que vivemos é acumular capital, não é saúde, ou bem estar, ou respeito ou garantir que a espécie humana vai ter um futuro no planeta. Veja bem, nosso objetivo não é garantir que nossos filhos e netos terão um planeta, um lugar para morar, mas simplesmente acumular bens - não pense que vc está fazendo algo relevante reciclando a garrafa de refrigerante).

Capital Humano - Para a maioria das pessoas a Revolução Industrial e o desenvolvimento econômico do país não trouxe melhoras. A maioria passou a vender o seu trabalho, o seu corpo, o seu dia a dia, que antes era livre e independent. Para a maioria, o preço pago era miserável e uma vida de pobreza era a única coisa que podiam comprar.

Sindicatos - Com as indústrias e a situação de exploração cruel da mão de obra pelos donos dos meios de produção, tornou-se necessário a defesa dos trabalhadores. Movimentos sindicais começaram a serem criados mas por muito tempo eles foram menos que eficientes. Seus próprios lideres discriminavam mulheres e crianças, e nem sempre eles podiam fazer muitos, Uma pequna parte dos trabalhadores tinha acesso.

Conflito de classes - Os trabalhadores entravam em greve e estavam em constante confitos com os industriais. O estado tentou intervir, proibindo os piores excessos, mas em geral pouco fez e a extrutura do capitalismo continuou intacta. Trabalhadores imigrantes eram largamente discriminados, trabalhando em condições sub-humanas, entre os principais exemplos estão os chineses que trabalhavam na construção das ferrovias.

Embora o período tenha sido de desenvolvimento econômico para o Canadá, é evidente que a população em geral não teve o mesmo desenvolvimento na sua qualidade de vida. Hoje talvez as coisas sejam diferente se olharmos dentro do país (não veremos mais tanta miséria), mas temos que lembrar que estamos num mundo globalizado e a vida boa de alguns em alguns países custa os recursos naturis e vida de muitos outros.

O Capitulo 18 fala sobre sociedade e cultura na era da Revolução Industrial. Espero retornar logo como o resumo :>)

Nenhum comentário: