sábado, 17 de setembro de 2011

Sobre viajar

Esse post é meio que comentando o comentário (esse é boa) da Mayumi, mas não só isso, é também um gancho para algo que eu queria escrever de qualquer forma.

Na verdade eu também gosto de voltar logo para casa, tipo de nem viajar. Mas quando a gente viaja a gente também pensa mais nestas coisas. Ficar um ou dois dias num lugar não é o suficiente para você conhecer o lugar realmente. Coisa de turista né, mas eu acho que não sou um bom turista. E geralmente não gosto de lugares com muitos turistas. Foi por isso, entre outras coisas que gostei de Yellowknife.

Mas a experiência de alguns dias é também muito incompleta. Veja, em Yellownife a gente viu só cachorros grandes, peludos, porque eles são usados no inverno para puchar trenó. Mas vimos eles como cachorros normais, afinal no verão eles não pucham trenó pois não tem neve, não tivmos a oportunidade de ver a imagem inteira... Havia um cartaz que dizia: "Quatro estações do ano em Yellowknife: Junho, Julho, Agosto e Inverno". Ou seja, conhecemos a cidade num mês atípico, no inverno é bem diferente. E como seriam os dias em Junho (praticamente sem noite) ou em Dezembro (praticamente sem sol)... mas também não vimos. Enfim, tanto mais para ser conhecido... E, ao morar um ou dois anos em Yellowknife você faz da cidade a sua casa. Tipo, um ap só seu. Você não vai sentir saudade de casa... e não vai estar viajando também..

As pessoas como eu gostam de suas casas por causa da vida simples e rotineira lá. Por causa do controle que temos e do conforto. Mas isso tudo é porque aprendemos a viver assim e porque tudo o resto depende da nossa vida na nossa cidade. Nos acostumamos a ter um trabalho e no final do dia ir pra casa. Nos acostumamos a assistir o jornal da noite e ler algo antes de dormir. Acordar cedo, dar uma corrida e pensar no que nos espera no trabalho. Sair com os colegas na sexta feira e andar de bicicleta no domingo. O sistema nos formatou tal que somos todos iguais e nos sentimos confortável assim. Andamos em círculos a nossa vida toda e nos sentimos confortáveis, seguros assim. Mas a experiência de mudar é algo sem igual. De viver em outro lugar, de conhecer outros mundos, de ser realmente livre, de ser dono do seu próprio nariz. Turismo de poucos dias é fazer de conta que se tem liberdade e voltar pro trabalho e dar mais dinheiro para o sistema, que nos prega a ilusão de que somos livres e felizes... Mas o turismo de poucos dias também abre a mente... Turismo de dois anos não é mais turismo, é liberdade de verdade, que pode ser usada sem viagens também, sem novos lugares, sem dinheiro...

Um comentário:

Mayumi disse...

Ah, sim, de pleno acordo! Dois dias num lugar não quer dizer que você conheça o local! Pensando desta forma, além do Brasil, só conheço o Japão (morei lá por 4 anos). Mas, também, não posso dizer que conheci a sociedade japonesa aot todo, pois todo este tempo que passei lá foi para estudar. Então, quando eu ouço hist´torias de quem foi trabalhar, vejo que eles conheceram outro Japão, aquele que eu não conheci! Mas, sem dúvida nenhuma, quando você está como se fosse visita num país e quando você diz que vai morar no local, a figura muda! Rsrsrs.