quarta-feira, 18 de setembro de 2013

Cultura de bicicleta

Copenhague é uma das cidades com a melhor estrutura para bicicleta no mundo, se não for a melhor. Perto de Copenhague, Toronto está na idade da pedra. Eu achei essa página bem interessante sobre o ciclismo urbano em Copenhague.

Um ponto que eu acho interessante é que a gente, ciclista que vive em Toronto, imagina que o habitante ciclista de Copenhague é um sujeito feliz, que não tem do que reclamar pois o governo lá dá á bicicleta a importância que ela merece. E o ciclista de São Paulo pensa o mesmo de Toronto.

A verdade é que o ciclista de Copenhague é o que reclama mais, o que parece mais insatisfeito e o que luta mais pelos seus direitos. O de Toronto está começando a se organizar mais seriamente agora. E o de São Paulo, apesar das condições, não tá nem aí, parece que está feliz com as coisas do jeito que estão.

Pra mim isso mostra que um fator importante em ter essas condições consideradas de primeiro mundo é que a gente reconheça nossos direitos e estejamos dispostos a lutar por eles. Isso reforça a teoria do pão e circo. Enquanto o sujeito estiver marginalizado, ele não vai reclamar. Quando começamos a dar a ele seus direitos, ele vai abrir o olho e lutar mais por esses direitos.

Interessante, na página eles mostram fotografias de bicicletas no Rio de Janeiro, no passado, mostrando que um dia a bicicleta foi predominante na cidade. Em um tom forte, satírico, agressivo eles referem-se a atual cultura como a de que quer impor que a bicicleta é uma invasora do espaço urbano quando ela já dominou esse espaço. É impressionante como isso é verdade e como tanta gente vê a bicicleta como um problema, algo que só atrapalha.Interessante que não são pessoas no Brasil falando isso, mas sim em Copenhague, cidade que é um sonho para muitos ciclistas.





Nenhum comentário: