domingo, 11 de agosto de 2013

Discriminação de classes

Toronto é uma cidade multicultural, onde você facilmente encontra gente de todo canto do mundo. Quando digo facilmente, significa em qualquer lugar mesmo, ninguém se espanta de ouvir diferentes línguas na cidade e muito menos inglês com sotaque. Em São Paulo, isso não era comum, aliás era difícil encontrar alguém nascido em outro país que falasse português com sotaque. Em outras cidades grandes do Canadá isso se repete, embora não com tanta intensidade como em Toronto.

Por causa disso o Canadense é preocupado com a forma correta de inclusão de diferentes culturas, convivência entre elas e discriminação. O Canadá se destaca por ser um país onde o imigrante não é discriminado, ou é menos do que em outros países. Uma coisa interessante que eu sempre notei é a discriminação de classes sociais, que existe em Toronto, mas que ninguem fala sobre ela. Há 50 anos pessoas negras não podiam entrar em certos restaurantes restritos a brancos no Canadá, só para dar um exemplo, e isso é uma discriminação inaceitável agora. No entanto agora pessoas que não tem dinheiro não são aceitas em restaurantes, da mesma forma. Aqui em Toronto, se vc não tem dinheiro vc não pode ter casa, carro, não pode viajar para a Europa, não pode comer em restaurante todo dia ou andar de taxi, não é permitido comprar o que quer no mercado, não é permitido ir no cinema ou teatro. Você passa apertado para comer, beber, dormir, se socializar, vc é marginalizado, esquecido, desprezado.

Mas as pessoas aqui em Toronto não ligam para isso, elas sofreram uma lavagem cerebral na qual tiveram implantadas em seus cérebros que ter o mesmo direito se aplica a diferentes raças, etnias, idades, sexos, mas não a diferentes classes sociais. Todo mundo nasce igual e tem direitos iguais, exceto para os que nascem pobres ou se tornam pobres, caso no qual diferenças em direitos são aceitáveis.

Uma vez eu participei de um treinamento sobre isso, e eles incluiram vários fatores que podem levar a discriminação, incluindo classe social/renda. Naquela ocasião eu não pude deixar de pensar que na verdade não existe muita discriminação de nada, só de renda mesmo. Se vc é negro ou chines, mas tem grana, vc não é discriminado. Renda seria então a causa das outras discriminações, pelo menos em grande parte. Mas querem resolver a discriminação sem resolver a renda.

Outro dia eu fui viajar de trem. Cheguei na estação 1 hora antes, queria ter certeza que nada ia dar errado pois eu nunca tinha viajado de trem no Canadá. Cheguei lá e tinha uma fila de umas 4 pessoas no portão de embarque, faltava 1 hora, eu fui sentar. Mas não deu nem tempo eu sentar, a fila já aumentou para umas 30 pessoas e continuou aumentando. Descobri que a fila existia porque a gente não tinha assento marcado e todo mundo queria entrar primeiro para não ficar em pé. Umas poucas pessoa estavam sentadas, elas não estavam viajando na classe econômica e não precisavam se preocupar. Muitos bancos vazios e muita gente em pé na fila por quase uma hora. Isso no Canadá. Era o cúmulo da burrice, do desrespeito, da discriminação, era simplesmente inaceitável. Como complemento, para mostrar a jumentice (acho que essa palavra nao existe, mas tudo bem) da espécie, acabou que tinha espaço de sobra no trem, ninguém teve que ir em pé... Mas em Toronto todo mundo acha isso normal...

Um comentário:

ECS disse...

Uma alternativa pode ser que historicamente as pessoas que vão para aí tem a visão de que é um local que não precisa perder tempo (e muito menos conviver) com "pobre" e isso tenha se incorporado na cultura local.