quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Pesquisas eleitorais

É interessante como os debates sobre a autenticidade dos resultados de pesquisas eleitorais é quente no Brasil. Acho que por um lado é até um motivo de orgulho, digo, embora existam debates similares nos US, o nosso é próprio e único, e desde que trabalho com pesquisa ele existe.

Pois bem, nesta semana a diretora de pesquisa do IBOPE, Márcia Cavalari, participou do programa Roda Viva da TV Cultura. Acho que é interessante assistir, principalmente para nós, que somos da área.

Eu pessoalmente achei que ela se saiu bem, acho que ela disse coisas importantes e interessantes. Mas acho que os estatísticos sentiram falta do reconhecimento das deficiências metodológicas que todas essas pesquisas tem. Talvez tenha faltado um estatístico ali entre os jornalistas, para fazer perguntas. Mesmo o programa sendo dirigido a um público não técnico é importante explorar o fato de que as pesquisas são furadas tecnicamentes e muito baseadas em experiência e ponderações. Não sei o quanto poderia ser diferente mas acho que as pessoas interpretariam números com mais cautela se tivessem uma idéia de quanto a falta de fundos desvia a pesquisa do que seria metodologicamente correto, dos erros não amostrais envolvidos e tal.

Mas acho que a posição dela de "olhar tendência ao inves de olhar números" vai nessa direção de que devemos ter mais cautela com números pontuais e mesmo margem de erro. Ela só não deixou isso muito claramente ligado a deficiências metodológicas, ao invés disso ela insistiu em falar em mudança de opinião do eleitorado, tipo meio que lavando as mãos - "Eu dei o número correto, mas o eleitor mudou de opinião da noite pro dia...". É difícil ver oq quanto do problema é técnico e o quanto é de volatilidade da opinião dos eleitores.

Foi uma conversa interessante e acho que temos evoluido no Brasil por conversar mais sobre isso...

Nenhum comentário: